À procura da esteticista ideal

Nas melhores mãos! É assim que deve sentir-se sempre que se submete a um tratamento cosmético. No entanto, esta sensação nem sempre existe e são muitas as pistas que a podem fazer suspeitar de que a sua escolha não foi a mais adequada. Aqui ficam algumas dicas para ter uma ideia do que deve pedir à sua esteticista, uma das especialistas a quem confia uma missão muito importante, a melhoria da sua aparência.

Requisitos básicos

Para poder exercer a sua profissão, a esteticista tem de ter uma carteira profissional facultada pela escola onde fez a sua formação, escola esta que tem de ser homologada pelo Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP). Para ter a carteira profissional, a aluna faz um exame no final do curso, avaliado por um júri constituído por profissionais da escola, do IEFP, da Associação Nacional de Esteticismo Profissional e do Sindicato Nacional de Profissionais de Cabeleireiro, Arte e Beleza.

Que tratamentos pode fazer:

– Manicura e pedicura
– Colorações e descolorações de pelos
– Depilações
– Maquilhagem
– Massagens de estética
– Tratamentos faciais (para eliminar a acne ou para garantir uma boa hidratação, por exemplo)
– Tratamentos corporais (celulite, estrias e/ou pós-parto, entre outros)

Dicas para acertar

Seja qual for o tratamento a que vai submeter-se, nem que seja uma simples limpeza à pele, algo considerado corriqueiro, muitas vezes, é importante que a profissional mostre interesse pelo seu estado de saúde, tipo de pele, entre outros fatores. Por isso, deve exigir, que esta lhe forneça informação completa acerca dos tratamentos que lhe vai fazer e dos produtos que vai aplicar.

Se no instituto de estética oferecerem serviços relacionados com medicina estética (mesoterapia, por exemplo), assegure-se de que a pessoa que o vai realizar tem formação médica. Se oferecerem tratamentos dietéticos ou de emagrecimento, é importante que seja um endocrinologista ou um especialista em nutrição devidamente qualificado a fazê-lo. É muito importante verificar meticulosamente tudo o que for relacionado com a higiene e a limpeza do local.

Um ponto a favor do centro de estética é que tanto a forma como está organizado como a sua decoração propiciem um ambiente que convide ao relaxamento e à harmonia. Além disso, se o gabinete de estética estiver integrado noutro centro (ginásio, spa, cabeleireiro ou termas, por exemplo) tem de estar completamente separado deste e funcionar como um departamento autónomo.

Veja na página seguinte: As perguntas que deve fazer antes de escolher

Ver artigo completo

Deixe uma resposta