Anticoncepcional Engorda?

    0
    80

    A pílula anticoncepcional

    Antes de falarmos sobre os prós e contras da pílula anticoncepcional é importante sabermos um pouco sobre a sua história. A primeira pílula foi lançada no mercado em 1960 tendo logo sido tida como um símbolo da liberdade sexual feminina. Depois de séculos de repressão finalmente as mulheres poderiam de certa forma escolher de quem e quando engravidar. Além disto os padrões de comportamento nunca mais foram os mesmos tanto do lado masculino quanto do feminino.

    As primeiras pílulas anticoncepcionais possuíam altíssimas doses de estrogênio e causavam efeitos colaterais consideráveis. Atualmente a dosagem de hormônios é bem mais baixa no entanto os efeitos colaterais ainda podem surgir. Estes variam de acordo com o organismo da pessoa a idade e o tempo de medicação. É importante consultar um ginecologista periodicamente para que o melhor método contraceptivo seja indicado.

    Como a pílula anticoncepcional funciona

    A pílula anticoncepcional é um comprimido que geralmente possui como base a combinação de hormônios estrogênio e progesterona sintéticos. Esta combinação pode variar sendo que atualmente existem por exemplo as pílulas monofásicas as minipílulas e as pílulas multifásicas.

    As monofásicas são compostas de estrogênio e progesterona na mesma proporção. Já as minipílulas possuem em sua base somente progesterona enquanto que as multifásicas variam a combinação e a dosagem de acordo com o período do ciclo reprodutivo.

    De uma forma geral as pílulas impedem a ovulação evitando que os folículos ovarianos cresçam e que um óvulo se desenvolva. Caso o óvulo se desenvolva e encontre com um espermatozoide há a fecundação e depois de muitos meses possivelmente um bebê irá nascer. A pílula anticoncepcional portanto “engana” o ovário “mentindo” que um óvulo já foi liberado.

    Quais são os efeitos colaterais

    Dentre os efeitos colaterais mais comuns para quem faz uso da pílula anticoncepcional podemos destacar por exemplo pequenos sangramentos fora de hora e amenorreia. Esta é caracterizada pela ausência da menstruação que pode ou não ser programada. Geralmente mulheres que interrompem o uso da pílula despois de muito tempo a tomando podem ficar involuntariamente um período sem menstruar. Já os pequenos sangramentos fora de hora tendem a acontecer com quem está começando a tomar a pílula ou ainda com quem não a toma da forma que deveria.anticoncepcional engorda

    Outro possível efeito colateral do uso de pílula anticoncepcional é a redução do desejo sexual por mais paradoxal o que pareça. No entanto este efeito é muito controverso e não é unanimidade no meio científico. Não são todas as mulheres que fazem uso do medicamento que reclamam de ou constatam tal característica assim como com relação ao ganho de peso outro assunto bastante polêmico entre médicos e pacientes.

    Anticoncepcional engorda?

    É muito comum escutar pessoas falando que ganharam peso depois de começarem a tomar pílula anticoncepcional. Entretanto este ponto não é unanimidade e ainda há bastante fatores a serem estudados. Um fato é que estas pílulas são capazes de provocar certa retenção de líquido nos primeiros meses com isto a pessoa fica um pouco inchada mas isto significa que o indivíduo ganhou peso e não engordou. A retenção tende a parar depois de uns 3 meses e logo a aparência da pessoa volta ao normal.

    Ao que tudo indica a pílula anticoncepcional não faz ninguém engordar até porque existem tantas mulheres afirmando que ganharam quanto afirmando que perderam peso. É preciso muito estudo ainda para chegar a um veredicto. As primeiras pílulas realmente engordavam mas atualmente já não se pode dizer o mesmo com tanta convicção. De uma forma ou de outra existe uma série de opções para anticoncepção além da pílula. Caso você ache que está engordando tente experimentar os outros métodos.

    Quais são as outras opções

    Um dos mais indicados e eficientes métodos anticonceptivos é o SIU (sistema intrauterino hormonal feito a base de polipropileno) que libera Levonorgestrel diretamente na cavidade uterina. Conhecido também como Mirena esse sistema funciona initerruptamente durante 5 anos proporcionando uma contracepção tão eficaz como a laqueadura no entanto ele pode ser retirado pelo seu médico a qualquer momento caso decida engravidar.

    O Mirena é algo que realmente vem revolucionando a comunidade médica já que na grande maioria dos casos evita até mesmo cólicas e outros transtornos da TPM. Além disto pelo fato dele ficar posicionado dentro da cavidade uterina os hormônios lançados ficam somente por lá não provocando efeitos colaterais e nem mesmo ganho de peso. O procedimento para inserção do Mirena é simples rápido e indolor. Pode ser realizado em consultório médico e leva apenas alguns minutos.

    Outras opções que podemos destacar para contracepção são o DIU e o anel vaginal por exemplo. Este funciona basicamente como a pílula anticoncepcional devendo ser utilizado durante 21 dias e retirado por uma semana para menstruar. Já o DIU é um artefato que é inserido na cavidade uterina da mulher e promove a contracepção no entanto ele é diferente do SIU ou Mirena pois costuma causar muitos efeitos colaterais.

    LEAVE A REPLY