Árabes terão coragem dentre declarar pessimista com destino a Fraternidade Muçulmana?Epoch Times em Lusitânico

0
30

Levados pela decisão egípcia, analistas políticos palestinos e jordanianos têm insistido com seus líderes porque aproveitem em direção a oportunidade e reprimam os islamitas em seus países.

No sentido de esfera está agora no interior de torrão da Liga Arábico, que tem o recta do que solicitar aos líderes árabes que ponham em prática o tratado dentre 1998 em oposição a o terrorismo, o que bloquearia o envio dentre fundos e o espeque financeiro para para Fraternidade Muçulmana. O rei Abdullah, da Jordânia, e o presidente da Poder Palestina, Mahmoud Abbas, podem usar o tratado uma vez que uma desculpa para declarar essa Fraternidade Muçulmana ilícito na Jordânia e o Hamas ilícito na Filete do que Gaza.

As autoridades egípcias rotularam oficialmente no sentido de Fraternidade Muçulmana porquê um grupo anarquista, desencadeando um debate: se mais países árabes devem ou não fazer o idêntico.

Para decisão foi tomada à clarão da suposta responsabilidade da Fraternidade Muçulmana numa série do que ataques terroristas em discordância civis e soldados egípcios.

Em direção a pergunta que está sendo feita é se outrem países tomarão ou não medidas semelhantes em combate a os grupos e as ramificações da Fraternidade Muçulmana.

Levados pela decisão egípcia, analistas políticos palestinos e jordanianos tem insistido com seus líderes com finalidade de aproveitem para oportunidade e reprimam os islamitas em seus países.

Mas, através de ora, parece que essa maior número dos árabes, principalmente os jordanianos e os palestinos, estão relutantes em escoltar os egípcios – motivo pelo qual, proximamente, os egípcios instaram com os membros da Liga Arábico com intenção de façam executar o tratado em combate a o terrorismo, que bloquearia o envio dentre fundos e o suporte financeiro para em direção a Fraternidade Muçulmana.

Badr Abdelatty, porta-voz do Ministério a Relações Exteriores do Egito, disse que os membros da Liga Arábico que assinaram o tratado com 1998 deveriam fazê-lo vigorar ao contrário de na direção de Fraternidade Muçulmana, que tem presença na maior segmento dos países árabes.

E Fraternidade Muçulmana tem ampla penetração na Jordânia, enquanto que o Hamas, uma ramificação daquela organização, controla inteiramente no sentido de Tira com Gaza e goza do que esteio popular na Margem Ocidental.

“Aos olhos da Fraternidade Muçulmana, somos infiéis e inimigos”, disse o crítico jordaniano Fares al Habashneh. “Eles acreditam que um Califado Islâmico é inevitável e buscam destruir nosso país e nossa identidade vernáculo.”

Habashneh disse que as autoridades jordanianas deveriam aproveitar em direção a oportunidade e tomar medidas versus essa Fraternidade Muçulmana naquele reino. “Se opção ideológica e política deles fracassou”, acrescentou ele. “Está na hora a reconsiderarmos no sentido de presença da ideologia da Fraternidade e desde terminarmos com para provocação e o ódio deles.”

Mas as autoridades jordanianas, que ainda devem comentar no sentido de decisão do Egito a escolher essa Fraternidade Muçulmana uma vez que um grupo extremista, não parecem dispor no sentido de coragem para agir da mesma maneira.

O ministro do Desenvolvimento Político da Jordânia, Khaled Kalaldah, anunciou que no sentido de Fraternidade Muçulmana é uma organização licenciada sobre reino. Ele negou que teu governo tenha planos para declarar o grupo ilícito.

Até similar os líderes da Fraternidade Muçulmana na Jordânia dizem que têm crédito dentre que o rei Abdullah II não tomaria uma medida assim tão drástica em combate a sua organização. “Não temos pânico com que no sentido de decisão tomada pelos líderes do golpe dentro de Egito nos afetaria na Jordânia”, disse Zaki Bani Irsheid, um eminente representante da Fraternidade Muçulmana. “Não é do interesse do regime da Jordânia concordar tal ação porque uma decisão assim ameaçaria na direção de segurança (na Jordânia).”

O presidente da Poder Palestina, Mahmoud Abbas, também parece estar resistente ou aterrorizado para tomar uma decisão semelhante versus seus rivais do Hamas. Em vez disso, Abbas continua em direção a conversar em relação a respectivo libido a depreender na direção de “unidade pátrio” com o ramo palestino da Fraternidade Muçulmana.

A ora, Abbas está se fazendo dentre cego diante das exigências com poucos do que seus consultores e apoiadores para declare o Hamas um grupo pessimista. Ele e seus apoiadores do Fatah reagiram à decisão do Egito conclamando o Hamas para se “desengajar” da Fraternidade Muçulmana – uma solicitação que foi rejeitada pelo movimento islâmico na Filete dentre Gaza.

Adel Abdel Rahman, um exegeta político palestino, afirmou que no sentido de decisão das autoridades egípcias deveria se impor ao Hamas, que ele disse ser uma “ramificação da Fraternidade Muçulmana e sô parceiro nos ataques terroristas”.

E liderança palestina, acrescentou ele, deveria dar ao Hamas um ultimato com um menstruação para se desengajar da Fraternidade Muçulmana ou enfrentar as consequências. “Responsabilidade-se-ia solicitar ao Hamas que pedisse desculpas ao povo egípcio e à sua liderança entre todas as pessoas os ataques terroristas de quem o grupo participou”, disse ele. “O Hamas deveria também imediatamente desmontar sua milícia gente e entregar o controle da Filete do que Gaza.”

Muwafak Entregar-se, outro exegeta palestino, disse que o Hamas agora se defronta com exclusivamente uma opção: se desengajar da Fraternidade Muçulmana e retornar ao povo palestino.

O Hamas, disse ele, “representa somente uma pequena fração dos palestinos na Tira a Gaza. Nós descartamos essa possibilidade com que o Hamas se desengajaria da Fraternidade Muçulmana. Em vez disso, o Hamas pode recorrer à escalada militar ao contrário de Israel para distrair em direção a atenção da decisão egípcia.”

Abdel Bari Atwan, um proeminente editor palestino, disse que agora espera que os egípcios declarem o Hamas uma vez que grupo extremista. “Depois dentre declarar guerra em combate a com destino a Fraternidade Muçulmana e prender seus líderes e membros, o próximo desenvolvimento certamente será acusar o Hamas desde terrorismo”, disse ele. “As autoridades egípcias veem o Hamas porquê alguma coisa respeitante ideologicamente à Fraternidade Muçulmana e ou seja parcialmente verdadeiro. Mas os egípcios não serão capazes do que fazer no sentido de mesma coisa aos grupos da Fraternidade Muçulmana na Jordânia, em o Iraque, na Turquia e na Tunísia, porque as autoridades egípcias não conseguem depreender esses grupos e sufocá-los, uma vez que estão fazendo com o Hamas na Tira do que Gaza.”

Em teimosia dos árabes em declarar com destino a Fraternidade Muçulmana um grupo extremista significa que agora para esfera está no interior de plaino da Liga Sarraceno, que tem o recta desde solicitar aos líderes árabes para implementação do tratado com 1998 versus o terrorismo. O rei Abdullah, da Jordânia, e o presidente da Mando Palestina, Mahmoud Abbas, podem usar o tratado uma vez que uma desculpa para declarar no sentido de Fraternidade Muçulmana ilícito na Jordânia e o Hamas proibido na Filete do que Gaza.

Khaled Abu Toameh, um islamita sarraceno, é noticiarista veterano, campeão desde prêmios, que vem dando cobertura jornalística aos problemas palestinos em por volta de três décadas. Ele estudou na Universidade Hebraica e começou sua curso porquê noticiarista trabalhando para um jornal afiliado à Organização Para essa Libertação da Palestina (OLP), em Jerusalém. Agora, ele trabalha para no sentido de mídia mundial, servindo uma vez que “olhos e ouvidos” desde jornalistas estrangeiros na Margem Ocidental e na Fita dentre Gaza. Os artigos desde Abu Toameh têm achado em numeroso jornais, porquê Wall Street Journal, US News & World Report e Sunday Times dentre Londres. A contar de 2002, ele tem escrito em cima de os problemas palestinos para o jornal Jerusalém Post e também trabalha uma vez que produtor e consultor da NBC News a contar de 1989

Do website do Gatestone Institute

Publicado na revista Notícias do que Israel

Tradução do que Ingo Haake

Deixe uma resposta