Bem-estar em todas as fases da vida

    0
    35

    Sabemos que a informação é a primeira etapa para que todos comecem a falar o idioma Saúde. E felizmente esse passo está sendo dado com muita felicidade e propriedade pela mídia.

    Ainda sinto que a minha grande missão é trabalhar a consciência das pessoas para que a atividade física torne-se um hábito em todas as fases da vida.

    O nosso corpo atinge sua capacidade máxima aos 25 anos. Depois disso a curva começa sua fase de declínio – e sem mínima chance de volta! Aos 35 anos os efeitos já se fazem visíveis. Há perda de massa óssea o metabolismo torna-se mais lento. Nas mulheres é também o início da queda nas taxas de hormônio.

    Ao pisar na casa dos 40 o corpo deixa de queimar 120 calorias por dia o que torna mais difícil o controle do peso. Nessa fase as mulheres costumam aumentar em 35% o índice de gordura e os homens 25%. Depois dos 65 anos a capacidade respiratória diminui em até 40% e a massa muscular em 25%.

    Os mais céticos os conformados podem argumentar que bons hábitos não impedem que o tempo se instale em nós. Tudo bem. Não podemos deter o envelhecimento. Mas com certeza temos chance de minimizar seus efeitos com hábitos saudáveis. É possível viver cada fase da vida apenas com alegria sem sustos. Basta começar retomar ou aperfeiçoar o plano de ação com seu corpo.

    Quando assumimos este compromisso passamos a dialogar com nosso corpo e para nossa surpresa descobrimos que esse é um dialogo gratificante. É essa a sensação que as pessoas que começam a fazer um programa de atividade física experimentam. São as endorfinas.

    O melhor momento é hoje. Ainda dá tempo. Saia do círculo vicioso. Assuma o círculo virtuoso e comece a usufruir os benefícios da atividade física regular.

    Confira artigos anteriores:

     

    Esta matéria foi produzida no site ativo.com

     

    Compartilhar
    Artigo anteriorGinástica laboral: ótima ferramenta para qualidade de vida
    Próximo artigoEmpresa desenvolve fone de ouvido bluetooth para atletas

    Deixe uma resposta