Cirurgia para retirada do útero

0
169
 Histerectomia

A cirurgia para retirada do útero ou histerectomia é um procedimento realizado em mulheres com a finalidade de remoção total ou parcial do útero. A cirurgia é feita sob anestesia e quando é total retira-se o colo e o corpo do útero enquanto que quando é parcial somente o corpo do útero é retirado.

Além do útero os anexos como ovários e trompas de Falópio também podem ser removidos via histerectomia. O procedimento pode ser basicamente realizado através de um corte no abdômen através da retirada do útero pela vagina ou ainda através de videolaparoscopia.

A histerectomia é uma cirurgia de grande porte que deve ser realizada com bastante cautela e sempre em um centro cirúrgico. Antes da decisão pela mesma é necessário conversar com um médico de forma a estudar os prós e contras. A mulher costuma permanecer em média de três a cinco dias internada sendo preciso portanto certo tempo para se reestabelecer.

Quando é indicada

A histerectomia é indicada para mulheres com câncer no útero com sangramentos disfuncionais com infecções pélvicas muito severas com danos irreparáveis no útero com hemorragias ou com crescimento não maligno como miomas.

Mulheres com condições malignas no útero devem ter o mesmo retirado por completo além da remoção das trompas de Falópio e dos ovários. Muito frequentemente a histerectomia é a única opção para a manutenção de uma vida.

Como é o procedimento

Existem diferentes técnicas disponíveis para a realização do procedimento. Antes da decisão por uma técnica é preciso que médico e paciente discutam os prós e contras de cada uma de forma a decidir pela melhor opção.

A histerectomia abdominal exemplo consiste na retirada do útero através de um corte feito no abdômen da paciente logo acima da área púbica. Esta é a técnica mais utilizada quando há a necessidade de remoção das trompas de Falópio e dos ovários ou ainda quando o útero deve ser retirado por completo.

A histerectomia vaginal por outro lado é um procedimento mais usado quando há prolapso uterino. Ela consiste na retirada do útero através da vagina sendo que neste caso não é preciso haver cortes e não restarão cicatrizes aparentes.

Outra técnica bastante utilizada é a histerectomia por videolaparoscopia procedimento que consiste na remoção do útero através de pequenas incisões no abdômen. Para tanto uma pequena câmera de vídeo é inserida de forma a orientar o médico que via um tubo laparoscópico remove o útero em secções.

Quais são os preparativos

Antes da realização da cirurgia o médico costuma solicitar um exame físico completo de forma a verificar o estado de saúde da paciente. Exames de sangue e outros testes laboratoriais também podem ser requisitados.

No dia da histerectomia é necessário fazer um jejum de oito horas normalmente tendo início depois da meia-noite. A paciente deve informar o médico de todos os medicamentos que toma assim como de suspeitas de gravidez. Antes de chegar à sala cirúrgica ela será sedada e passará todo o procedimento dormindo. A área que fica em volta do lugar cirúrgico costuma ser raspada. Dependendo do motivo da cirurgia os preparativos variar um pouco no entanto de uma forma geral estas são normalmente as orientações.

Riscos e efeitos colaterais

Todo procedimento cirúrgico envolve riscos e efeitos colaterais sendo que com a histerectomia não é diferente. Algumas das complicações mais comuns são por exemplo hemorragias lesões nos ureteres ou na bexiga infecções incontinência urinária ou dificuldades para urinar e prejuízo em órgãos intestinais.

Mulheres que ainda não tenham experimentado os sintomas da menopausa podem vir a começar a senti-los depois da histerectomia como ondas de calor secura vaginal e alterações no humor. Depressão ou sentimento de perda de identidade sexual são também sensações possíveis depois do procedimento. A histerectomia dá fim aos períodos menstruais e leva à impossibilidade de engravidar. É muito importante conversar com o médico e buscar orientação antes da realização da mesma de forma a tentar minimizar ou evitar possíveis transtornos.

O que ocorre após o procedimento

Depois da histerectomia a paciente é levada para a sala de recuperação e fica um tempo sob observação. O tempo de recuperação varia um pouco dependendo da técnica empregada do motivo da histerectomia e do organismo da paciente no entanto de uma forma geral a mulher fica três dias hospitalizada e leva aproximadamente oito semanas para recuperar-se completamente.

Cólicas abdominais são frequentes e é importante manter o local de incisão sempre limpo e seco. Andar e movimentar levemente o corpo é fundamental no entanto atividades pesadas e exaustivas devem ser evitadas. Analgésicos são geralmente prescritos com o intuito de evitar a sensação de dor. Beber água e comer fibras é importante para que o organismo não fique constipado. Normalmente há recuperação completa em até oito semanas. Quaisquer sintomas ou sinais após a cirurgia devem ser analisados por um médico.

LEAVE A REPLY