Cisto Sinovial

    0
    367

    O que é cisto sinovial?

    São nódulos firmes e cheios de fluído sinovial que aparecem de forma repentina e próximos a articulações especialmente as das mãos e as dos punhos. Os cistos tendem a crescer a partir de tecidos normais originários de bainhas sinoviais dos tendões e de articulações.

    O tamanho pode variar bastante sendo que alguns são extremamente volumosos e deformantes e outros são imperceptíveis. O nome da condição vem de “sinóvia” um tecido que possui a função de cobrir os tendões e as articulações. A sinóvia produz um fluído em específico que lubrifica estes locais. Um defeito neste processo é capaz de originar líquido sinovial em um sítio inapropriado criando com isto um cisto sinovial.

    Conforme a região afetada vai ganhando mais líquido ela vai aumentando em volume. O nódulo logo se torna aparente e apesar de ser frequente e de crescer rápido ele não tende a se espalhar para outros locais. Em muitas situações ele some espontaneamente. Caso contrário a pessoa necessita receber o devido tratamento. Este consiste de uma forma geral na aspiração do fluído ou na retirada do nódulo via procedimento cirúrgico.

    Agente causador

    As articulações e os tendões são lubrificados por um líquido em especial que atua no preenchimento de pequenos compartimentos. Algumas vezes devido à artrose a traumatismos ou até mesmo sem uma razão muito evidente ocorre um vazamento destes compartimentos. Tal situação leva ao surgimento de um cisto sinovial.

    Quando usamos as mãos nossos movimentos comprimem e fazem pressão nos espaços lubrificados. Com isto o cisto vai aumentando mais e mais. Além disto o líquido lubrificante é composto de proteínas especiais as quais são difíceis de serem absorvidas pelo corpo devido ao aspecto espesso. O organismo tenta absorver o fluído no entanto somente consegue sugar sua água o que piora ainda mais a situação.

    Como se descobre a doença (diagnóstico)

    Os sinais de um cisto sinovial são bastante evidentes. Quando da complicação a pessoa logo percebe que algo vai errado. O nódulo se forma e aos poucos vai aumentando além de provocar dores na região.cisto sinovial

    Diante desta situação um médico deve ser procurado. Este irá avaliar o estado do paciente e fará um cuidadoso exame físico de forma a identificar a causa do problema. Com uma breve análise o profissional logo começa a suspeitar da condição em questão. Para a confirmação do diagnóstico é bem comum ele solicitar uma ultrassonografia da região então afetada. Quando os cistos são assintomáticos basta uma simples observação e a espera da remissão espontânea.

    Entretanto em casos mais graves e dolorosos diversas medidas podem ser tomadas com o intuito de ajudar na recuperação. O tratamento pode envolver até mesmo uma intervenção cirúrgica para a remoção do nódulo. Quando antes o médico for consultado melhor será o prognóstico. É fundamental conversar com um profissional diante de qualquer alteração corporal. Nunca realize auto-medicação pois somente um médico sabe exatamente qual medicamento é melhor para cada caso. O uso incorreto de fármacos pode piorar um estado ou ainda mascarar uma doença mais grave. Não hesite em pedir por ajuda.

    Sintomas

    Os locais mais comuns de ocorrência dos cistos sinoviais são o dorso do punho a frente do punho e a base dos dedos na superfície palmar sobre a chamada bainha do tendão flexor. Eles também costumar acometer a ponta dos dedos nas articulações distais próximas às unhas. Nestas situações recebem o nome de cisto mucoso.

    Algumas vezes o nódulo não provoca qualquer sintoma especialmente quando ainda está se formando. As dores e o volume aumentam quando há grande uso das mãos. Movimentos de flexão e de preensão pioram ainda mais o estado. Na realidade os cistos podem surgir em qualquer local havendo prevalência nos mencionados acima.

    Prevenção

    Não existe uma forma em específico para a prevenção dos cistos sinoviais. Isto porque não se sabe ao certo o que leva ao vazamento do líquido nas regiões. Pode-se prevenir complicações e dores com um tratamento precoce porém o surgimento dos mesmos ainda é um mistério.

    Recomenda-se a todas as pessoas que logo busquem por ajuda médica quando se depararem com algo estranho. A grande maioria dos problemas possui um melhor prognóstico quando é precocemente descoberto. Jamais realize automedicações e em caso de dúvidas consulte um médico.

    Tratamento

    O tratamento depende bastante dos sintomas que o paciente sente. Muitas vezes o cisto é assintomático ou seja não provoca qualquer dor mesmo acometendo articulações ou as bainhas dos tendões. Em casos de dores extremas a pessoa deve aplicar gelo no local por em média 10 minutos assim como também pode fazer uso de anti-inflamatórios.

    Após avaliar a condição do cisto sinovial o profissional pode solicitar a confecção de um “splint” ou órtese. Esta irá imobilizar a região acometida promovendo o repouso e o suporte necessários à recuperação. Em casos de cistos que manifestem sintomas ou de aparência incômoda aos pacientes o médico pode recorrer a outras alternativas. O ortopedista costuma por exemplo indicar uma aspiração local e aplicar um medicamento na região. Este método funciona melhor em nódulos tendinosos do que nos nódulos articulares. Quando ele não é efetivo até mesmo uma intervenção cirúrgica pode ser considerada. Esta consiste na retirada por completo do cisto e a recuperação tende a levar de dois a quatro meses dependendo da situação.

    Depois da retirada de um cisto sinovial ele pode voltar a aparecer. É comum também que outro surja em uma área adjacente à que foi operada. Nódulos dorsais ou volares do punho costumam ser removidos via vídeocirurgia artroscópica na qual através de orifícios bem pequenos uma pequena ótica é inserida no punho e auxilia mini-instrumentos.

    De uma forma geral os cistos sinoviais possuem remissão espontânea. Caso eles não estejam provocando dores e caso a aparência não incomode espere os mesmos irem embora. Apesar de desaparecerem sozinhos todos os nódulos devem ser avaliados por um profissional. Somente ele poderá identificar a real causa do problema e descartar outras enfermidades mais preocupantes. Esta condição é relativamente comum e de fácil tratamento. Diante dos sinais consulte um médico.

    LEAVE A REPLY