Citometria de fluxo

    0
    81

    O que é citometria de fluxo?

    É uma técnica utilizada com a finalidade de se contar examinar e também classificar as partículas microscópicas em meio líquido que esteja em fluxo. Através de um aparelho de detecção óptico-eletrônico é possível analisar uma série de parâmetros assim como as características físicas e químicas de uma célula.

    Um citômetro de fluxo possui 5 principais componentes: um fluxo de células uma fonte de luz um detector e também conversor de sistema analógico para sistema digital um sistema de amplificação e um computador que permita a análise dos sinais. Os aparelhos mais modernos permitem que várias partículas sejam analisadas ao mesmo tempo possibilitando até mesmo que estas sejam isoladas e separadas de acordo com características específicas. Os citômetros de fluxo se parecem muito com um microscópio que ao invés de produzir imagens da célula gera uma quantificação de um conjunto de características.

    Alguns dos parâmetros que podem ser medidos através da citometria de fluxo são por exemplo o volume das células e a complexidade morfológica o DNA o RNA a viabilidade celular a fluidez membranar antígenos nucleares a atividade enzimática o ph a análise e a classificação dos cromossomos a apoptose entre outras coisas. A lista de parâmetros é grande e cresce cada vez mais.

    citometria-de-fluxo

    Quando é indicado

    As principais aplicações desta técnica são na área de hematologia de cancerologia e de imunologia. Na área de hematologia é um procedimento muito realizado com a finalidade de diagnosticar e tratar diferentes complicações. É possível fazer uma análise das funções de células sadias de forma a evidenciar a natureza patológica.

    Na cancerologia é muito utilizado na detecção da célula patológica essencialmente através da medição de conteúdos anormais de DNA no seu núcleo. Já na imunologia a citometria de fluxo é usada principalmente para a identificação de subtipos de células que estariam levando às disfunções de imunidade.

    Como é o procedimento

    Durante a citometria de fluxo um feixe de luz de comprimento único de onda é lançado em um meio líquido em fluxo. Este feixe é geralmente produzido por um laser. Pela região onde o fluxo passa é apontado pelo feixe de luz um número de detectores. Um no feixe de luz e outros vários perpendiculares a ele além de outros detectores fluorescentes. Cada partícula que está suspensa e passando pelo feixe dispersa a luz de uma forma diferente. Os corantes químicos que são fluorescentes e são encontrados nas partículas ou junto delas são capazes de serem excitados de forma a emitirem luz em uma menor frequência do que a luz emitida pela fonte de luz.

    Os detectores melhoram esta combinação de luz fluorescente e de luz dispersa. Ao analisar as variações de brilho em cada detector é possível que se explore os vários tipos de informação da estrutura física e da estrutura química de cada partícula em especifico. Alguns citômetros tem excluído a necessidade de se utilizar fluorescência. Estes aparelhos fazem apenas uso da dispersão de luz na medição. Outros montam imagens da célula segundo cada fluorescência segundo a dispersão da luz e também a transmissão de desta.

    Quais são os preparativos

    É muito importante conversar com o médico solicitante antes da realização da citometria de fluxo. Dependendo do caso certas orientações específicas serão passadas. De forma geral não é indicado realizar atividades físicas no dia do exame. Todos os medicamentos de uso habitual precisam ser informados ao profissional para que este avalie ou não se a continuidade dos mesmos no dia do exame interferirá no resultado.

    A técnica de citometria de fluxo é utilizada em uma série de exames laboratoriais. Dependendo da finalidade as medidas preparatórias mudam um pouco. Portanto é preciso conversar com o profissional.

    Riscos e efeitos colaterais

    A técnica permite que seja feita a análise e a classificação de partículas microscópicas que estejam suspensas em meio líquido em fluxo. Para a obtenção do material a ser analisado pode-se dizer de uma forma geral que não são envolvidos riscos e que não existem efeitos colaterais.

    Como a citometria de fluxo pode ser utilizada para uma série de finalidades o método de colheita varia um pouco. Existem amostras como da medula óssea e do sangue periférico podendo também se utilizar outros fluídos biológicos. A finalidade da análise irá guiar a escolha do material a ser recolhido. A técnica utilizada neste processo pode envolver riscos leves como sangramentos ou riscos mais preocupantes.

    O que ocorre após o procedimento

    A citometria de fluxo é muito importante no diagnóstico de uma série de disfunções. Ela irá produzir resultados de acordo com vários parâmetros que serão comparados com o de células sadias. O método de leitura é rápido e permite analisar de uma única vez um número elevado de células. Além disto é possível caracterizar antígenos e estudar a granulosidade e o tamanho celular.

    Esta técnica pode ser utilizada em diversos exames como por exemplo para estudo de leucemia de neoplasia mamária e de doenças linfoproliferativas. O resultado tende a sair em cerca de 24 horas. Dependendo do exame realizado para a colheita do material as orientações sobre como agir após o procedimento podem variar um pouco. É muito importante que se converse com o profissional logo após o término do exame para que este informe todas as medidas necessárias.

    Na maioria das vezes a pessoa está liberada logo em seguida tendo apenas que buscar depois o resultado da citometria de fluxo. Apesar de muitos aparelhos realizarem uma cuidadosa análise hoje em dia a experiência do biomédico é indispensável. Muito progresso tem se conseguido através da citometria de fluxo já que os equipamentos são cada vez mais modernos e inteligentes. O número de parâmetros que podem ser estudados é grande e só tende a crescer.

    A citometria de fluxo já é importante no diagnóstico de uma série de doenças. O método para coleta de material costuma ser simples e indolor. Aconselha-se comparecer ao local acompanhado no dia do exame. Após a retirada do resultado é preciso levá-lo ao médico solicitante. Este irá avaliar os parâmetros obtidos recebendo um importante auxílio para o diagnóstico.

    Deixe uma resposta