Cromomicose

    0
    95

    O que é cromomicose?

    É uma infecção provocada por fungos que acomete a pele de homens e de mulheres. Apesar de ser raro a condição pode ainda atingir o cérebro tendo como porta de entrada os pulmões e os seios nasais. Homens habitantes em países tropicais ou subtropicais são os mais comumente afetados especialmente os de idade entre 20 e 40 anos.

    O habitat natural dos fungos é o solo a água e os vegetais. Quando estes invadem a pele humana é pelo fato de ali ter se desenvolvido uma condição propícia para o crescimento de sua população. Os principais causadores da cromomicose são: Fonsecaea compacta Cladosporium carrioniie Fonsecaea pedrosoi Phialophora verrucosa e Rhinocladiella aquaspersa.

    A condição quase sempre acomete os membros inferiores caracterizada pela presença de lesões papulosas no local onde houve a penetração do fungo. Diante dos primeiros sintomas é imprescindível buscar por ajuda para que um diagnóstico seja estabelecido e o devido tratamento tenha início.

    Como se adquire

    O contágio se dá através da penetração do fungo em partes expostas da pele. Não à transferência de humano para humano sendo frequente em homens trabalhadores rurais com idade entre 20 e 40 anos habitantes de países tropicais e subtropicais.

    Depois de cerca de dois meses do contágio já se pode notar a presença de uma lesão papulo-nodular ou ainda papulosa que evoluirá para uma úlcera e posteriormente para aspecto verrugoso.Cromomicose

    Sintomas

    Depois de passados cerca de 2 meses do contágio lesões papulosas começam a se desenvolver no local em que houve a penetração do fungo. Estas se tornam úlceras e com o tempo evoluem para formas com aspecto verrucoso. A expansão é centrífuga e geralmente se manifesta nos membros inferiores de forma unilateral. Apesar de mais raro tanto os membros superiores como a extremidade cefálica também podem ser acometidos. É preciso ter atenção a complicações principalmente quando a cromomicose é cefálica.

    As lesões de pele ficam circunscritas ao membro que foi afetado na grande maioria das vezes incapacitando-o. A evolução é lenta e raramente se dissemina sendo que quando o contágio é recorrente pode haver quadros de elefantíase. O diagnóstico costuma ser bastante efetivo assim como o tratamento portanto não deixe de buscar por ajuda. Diante de qualquer alteração em seu corpo procure por um médico.

    Diagnóstico

    Diante dos sintomas acima destacados é preciso buscar por ajuda. Todas as pessoas necessitam realizar exames de rotina e consultar um médico com frequência especialmente trabalhadores rurais para que o organismo fique monitorado e possíveis complicações sejam previamente descobertas.

    Para chegar à cromomicose é preciso fazer um diagnóstico diferencial da leishmaniose da tuberculose cutânea e da esporotricose por exemplo. É necessário que se saiba com certeza a origem das lesões e os agentes envolvidos para que o tratamento seja o mais efetivo possível. Exames laboratoriais com análise do pus das crostas e de secreções podem ajudar assim como realizações de cultura para posterior estudo das colônias. Por fim o médico pode também recorrer a exames histopatológicos nos quais dá para ver os parasitas em forma fumagóide. Assim que o diagnóstico for estabelecido é fundamental dar-se início a um tratamento.

    Como é feito o tratamento

    O tratamento pode envolver por exemplo exérese cirúrgica na qual as lesões são removidas após a aplicação de anestesia local. A criocirurgia também é uma boa opção nestes casos sendo que aqui é o uso de nitrogênio líquido sobre as lesões que vai dar resultado. Ainda existem as opções de utilização de laser de CO2 e abrasão.

    Em lesões muito grandes e em áreas extensas pode ser indicado o uso de fármacos diversos. A termoterapia também pode ser uma boa opção. Quando o contágio é recorrente pode haver quadros de elefantíase assim como complicações mais sérias decorrentes de um não tratamento podem surgir. Portanto não hesite em procurar por ajuda médica diante de qualquer alteração em seu corpo. Na grande maioria das vezes o tratamento é efetivo e possíveis complicações são excluídas.

    Como prevenir

    De uma forma geral para manter-se prevenido desta e de uma série de outras doenças realize exames de rotina e consulte um médico regularmente. Com isto o seu organismo ficará monitorado e diversas condições poderão ser detectadas e até mesmo controladas a tempo.

    A cromomicose acomete mais homens do que mulheres principalmente habitantes em países tropicais e subtropicais que trabalhem em áreas rurais. Para prevenir-se desta complicação evite sair para o campo sem calçados e roupas adequadas. Procure por orientações para que tenha mais segurança no trabalho assim como em sua residência.

    Cuidar da alimentação é fundamental para ter saúde. Uma dieta rica e balanceada deixa o organismo forte e protegido desta e de uma série de outras condições. Portanto mantenha hábitos de vida saudáveis consulte um médico regularmente e cuide de sua alimentação para ficar protegido da cromomicose e de outras complicações.

    SHARE
    Previous articleDiástase
    Next articleCarboxiterapia

    LEAVE A REPLY