Da natureza para o prato.

0
47

“Os alimentos de outono e inverno são aqueles que nos aconchegam mais fazendo com que as sopas os cremes o estufado aquele assado mais quente nos ajudem a ultrapassar aquelas dificuldades climatéricas” conclui.

Iara Rodrigues foi um dos nomes sonantes do Organii Eco Market tendo marcado presença no evento com um showcoking onde voltou a frisar que é possível emagrecer sem passar fome. Foi esta sua teoria o mote da nossa conversa e rapidamente nos deixámos levar pelo frio que se fazia e começámos a falar da importância dos alimentos da época.

“Até à data ainda existe muito o conceito de que para perder peso é preciso fazer uma dieta restrita. Eu sou mais apologista do ‘emagrecer sem fome’ porque é precisamente a mudança que tem de haver. É preciso mudar a alimentação ou ganhar a consciência de que a pessoa tem efetivamente de mudar os seus hábitos e o seu estilo de vida. Este é o segredo por trás de tudo isto” começa por dizer a nutricionista autora do livro ‘Emagreça sem fome – coma mais e viva com saúde’.

Para Iara além da tomada de consciência de que é preciso mudar é também necessário ter uma noção real daquilo que é uma alimentação saudável algo que descreve como “uma alimentação equilibrada e que seja baseada acima de tudo no bem-estar porque a pessoa não pode cingir-se a comer apenas só saladas ou legumes sem diversificar a sua alimentação”.

“Para mim a diversidade é claramente o segredo” diz destacando que essa diversidade deve ir ao encontro dos alimentos da época importantes para reforçar o sistema imunitário e com isso deixar o corpo mais capaz de resistir às adversidades.

Ao longo de todo o ano a natureza dá-nos tantas coisas que nos trazem benefícios portanto há que tentar acompanhar a mudança do ano as estações e os alimentos que nos são dados precisamente pela natureza e tentar de certa forma contribuir um bocadinho com isso no nosso prato.

Embora a alimentação saudável se queira variada e colorida a “ monotonia das cores” de outono não é desculpa para que as refeições não sejam as mais adequadas. Afinal há muito por onde escolher: “Temos as maçãs as laranjas as peras os dióspiros as romãs tudo frutos que acabam por ser muito benéficos em vitamina C que nos dão também aquele reforço imunitário que é necessário na mudança climatérica para nos defendermos das constipações das gripes enfim destas alterações que de certa forma acabam por nos prejudicar e deixar mais debilitados no que cabe ao sistema imunitário”.

No caso dos legumes continua “temos muitas folhas verdes na abundância das couves e dos brócolos. É uma altura em que os verdes predominam porque são mais resistentes pelas suas fibras e portanto é tentar diversificar um bocadinho nesse aspeto”.

Mas o outono é ainda conhecido pelas “castanhas batata-doce e própria batata inglesa” alimentos “que nos aquecem alma” e que segundo a nutricionista “devem estar presentes na nossa mesa de certa forma para ativar a nossa circulação e aumentar a saciedade acima de tudo” e isto porque “o emagrecer sem fome é a pessoa ficar saciada e não o dia todo a pensar em comida porque não está satisfeito com aquilo que está a comer”.

Compartilhar
Artigo anteriorPorque é que as cebolas nos fazem chorar?
Próximo artigoIMAX: aula de spinning dentro do cinema

Deixe uma resposta