“Direitos Humanos” e no sentido de Legítima Defesa

0
27

Adianto que para com destino a esquerda em direção a legítima resguardo não é legítima, mas um transgressão em oposição a pobres coitados sem oportunidade na vida e transformados pela malvadeza da sociedade, mas conhecidos uma vez que criminosos. Quando cometer crimes passa na direção de possuir com destino a falsa desculpa dos males sociais, e sim o oposto tal ato ser considerado porquê realmente é (meandro desde caráter), logo, é o início do término da legítima resguardo e com destino a legitimação da agressão ao contrário de população pacíficas.

Tudo isso não passa do que um jogo com interesses patrocinado entre determinado grupo que deseja para manutenção e expansão do próprio autoridade acerca de os cidadãos através do domínio pelo Estado. Quando olhamos com destino a história, vemos que tais grupos estão constantemente à esquerda, seja esquerdista, socialista, social democrata, nazista, fascista, ou bolivariano (entre outras pessoas).

O primeiro (e mais importante) andar com finalidade de esses grupos alcancem seus objetivos é no sentido de devastação da sociedade através da geração do que uma luta dentre classes, que sem tal incentivo não existiria. No sentido de luta a classes só é provável e historicamente verificável em sociedades onde há o incentivo ao ódio e à inveja entre os cidadãos. É essa caminho que está percebendo o Ibirapiranga.

Em direção a esquerda está há décadas tentando incitar uma luta desde classes sobre Pau-brasil, através da geração a “minorias”, inversão desde valores éticos e morais e supressão do que direitos individuais. Dentro do tema deste cláusula utilizo porquê exemplo com destino a relação entre os defensores dos “Direitos Humanos” e com destino a legítima resguardo na ótica esquerdista.

O que vemos diariamente é o cidadão todo vez mais acossado, refém dos criminosos e impedido a dispor a lhe recta à legítima resguardo. Essa situação é planejada, pois ocasionar o trapalhada na sociedade gera em direção a oportunidade ao Estado a se impor ainda mais. Caso lógica é simples, gera-se o trapalhada social através do Estado incentivando, protegendo e financiando grupos com resguardo aos bandidos (sob na direção de cognome desde “Direitos Humanos”) e outrem para gerar o próprio obscuridade (uma vez que os Black Blocs), para, na sequência, expor que o problema só pode ser solucionado através a mais Estado. Nesse momento, legitima-se ao Estado “fazer o que for necessário” e isso consequência na supressão dos direitos individuais e dentro de totalidade domínio dos gente pelo próprio Estado.

Outra técnica é imputar causas falaciosas para fatos abundantes. A título de exemplo, se um gay comete suicídio e é encontrado estraçalhado embaixo do viaduto do qual se jogou, rapidamente essa vigia dos “Direitos Humanos” levanta na direção de balsão da homofobia e imputa na direção de isto na direção de razão da morte, seja dizendo que ele foi assassinado (idêntico havendo provas a foi suicídio), ou gritando que em direção a “sociedade opressora” é em direção a culpada. Em os dois os casos retira-se com destino a responsabilidade do culpado e coloca-se acima de os inocentes, através de interesses políticos e pessoais.

Outro bom exemplo: se posteriormente cometer muitos crimes (furtos, roubos e ameaças) um menor (preto e pobre) é atado nu com destino a um poste e colheita a suas vítimas, logo, será vitimizado e as chamadas do que revistas, jornais, canais dentre televisão, etc, ligados ao Estado farão questão do que enfatizar que o tal jovem é preto e pobre. Também dirão que ele não teve possibilidades na vida, mais uma vez, para culpa sai do que cima do criminoso e recai em relação a suas vítimas, que conquistaram suas propriedades através do que trabalho, esforço e valor. Ao preço de falácia se comprova ao verificarmos que não é porque um sujeito é pobre ou tem poucas possibilidades, que será/é um criminoso, para tanto, basta saber “alcançar” as possibilidades que reunir e desenvolvê-las porque surjam mais possibilidades.

Essa vitimização dos criminosos serve perfeitamente ao propósito desde disseminar o pandemônio social, gerando uma poderoso sensação do que insuficiência nos cidadãos, enquanto o Estado impossibilita aos mesmos o entrada aos riqueza com autodefesa, porquê o porte a armas. O que resta? Concordar o aumento do próprio causante dos problemas (o Estado) para combatê-los, resultando em problemas piores e influência maior.

Agora, se um bandido níveo é atado no sentido de um poste e colheita, onde se enfia essa mídia que fez sensacionalismo em cima do caso do jovem preto? Sequer se pronuncia. Onde está em direção a Secretária com Direitos Humanos da Presidência da República, Maria do Rosário? Constrangedoramente calada! Dois pesos e duas medidas, ao longo de uma questão desde interesse. (Pormenor, até o momento são dois os casos do que criminosos brancos amarrados e espancados).

Ora, é interessante e vantagoso aos planos da escória em cima de ser capaz dar ênfase ao caso do jovem preto e pobre, “coitadizando-o”, pois gera ódio dentre negros em oposição a brancos, com pobres em oposição a ricos, a idiotas úteis versus essa população. Mas mostrar que também há bandidos, pobres e brancos com os quais ocorreu o igual, aí é demais. Não ajuda essa “pretexto”, pelo contrário, mostra em direção a sociedade que não há motivos raciais e do que classe até trás dos acontecimentos.

Passa distraído o trajo a que é na direção de própria esquerda qual cria na direção de falácia do que que com destino a pobreza gera os criminosos e levanta no sentido de questão da cor da pele destes, quer dizer, para própria esquerda que discrimina até requisito social e é racista. Há criminosos a o mundo inteiro os gêneros, etnias e quesito social (os a colarinho nevado situados em Brasília e na Papuda são prova viva disso). O envolvente familiar, com destino a situação social e no sentido de geração podem atuar? Simples que sim, mas cabe ao quidam essa escolha do que tornar-se criminoso ou não e a sua responsabilidade os resultados com tal escolha. O indumento é que escolher o violação é para propensão desde seres com meandro do que caráter, que preferem tomar o que é desde outrem com destino a ocupar com o próprio esforço e préstimo e não o resultado dentre uma quesito pré-real. Do contrário, o mundo inteiro os raça em determinada situação se tornariam criminosos, o que não é o caso. Há que prefira colher latinhas com alumínio e papelão nas ruas do que entrar para o transgressão.

Também é diverso interessante pincelar o suicídio desde um jovem gay porquê caso dentre homicídio brutal ao longo de homofobia, pois alimenta o ódio dos gays em oposição a os héteros. E quando surgem cartas dentro do quotidiano do suicida, descobertas pela própria mãe, que anuncia e assume que senhor fruto cometeu suicídio, porquê já diziam os peritos, o que faz Maria do Rosário, idiotas úteis e para esquerda caviar? Dizem que “não há provas suficientes para se rejeitar o assassinato”, mas, esquecem que há provas direcionando para o suicídio e que nunca houve quaisquer provas para hastear na direção de possibilidade com assassinato. Logo, espere! Para acusar na direção de esquerda não precisa desde provas, mas quando é refutada oi “não possuir provas suficientes”? Há alguma incerteza do entre que desse duplo padrão?

Na imagem, a exemplificação da manipulação da informação a favor da incitação ao ódio (reprodução)

Na imagem, com destino a exemplificação da manipulação da informação em prol da incitação ao ódio (reprodução)

Uma vez que dividir uma sociedade que não se odeia? Porquê impor mais Estado para cidadãos capazes desde se tutorar? Uma vez que fomentar o ódio entre classes, etnias e gêneros, sem mentir, manipular e obrigar?

Para os defensores dos “Direitos Humanos”, financiados pelo Estado e pela esquerda (essa qual pertencem), o invasor pode invadir nossas casas, violentar nossas esposas, destruir nossas família, assassinar, roubar, abarbarar, e temos que ser submissos para eles. Os bandidos devem desfrutar o “recta” desde cometer crimes, pois são os cidadãos ordeiros, mão de obra, esforçados, produtivos, pagadores desde impostos e submetidos à meritocracia os culpados pelos crimes que sofrem. O bandido é um “coitadinho” e o cidadão que se protege das agressões é um “monstro/justiceiro/burguês/discricionário/selvagem/etc”.

O enojo da esquerda pela legítima resguardo existe devido ao roupa desta impossibilitar no sentido de transformação do sujeito em um ser indefeso e facilmente vencível. Nessa traço, o aparelho do Estado visa à obtenção do poderio totalidade desses grupos acerca de no sentido de vida dentre qualquer sujeito. Conseguir se tutorar com agressores é ruim para o Estado, pois é ele o maior atacador vivo. Definir os criminosos pelos que são significa contar com destino a capacidade do que reconhecer em cima de Estado o maior criminoso que há. E ninguém nutriz mais o Estado do que essa esquerda.

Nas mentes torpes desses demagogos, manipuladores e agressores, temos que furar mão do nosso recta à legítima resguardo, porque o Estado nos proteja dentre que ele próprio é protetor. Para eles, devemos entregar nossos cabedal a autodefesa e manter porquê coitado que, até ramal a caráter, comete atrocidades em combate a nós.

Querem também que façamos isso enquanto eles incitam o ódio na sociedade, através da inveja ao contrário de que obtém sucesso através do próprio trabalho e préstimo. Desejam que fiquemos indefesos, enquanto alimentam o ódio dentro da sociedade, entre as classes, grupos, tribos, etnias, gêneros e tutti quanti.

Mas, logo, eu pergunto-lhes, se o Estado protege os bandidos e incita o ódio entre os população dentro da sociedade, é loucura penetrar mão desde nossa legítima resguardo. O ódio só aumentará e o Estado protegerá os criminosos e as “minorias oprimidas” (criadas para substituir o proletariado uma vez que tamanho dentre manobra) que terão missiva branca para agir uma vez que quiserem.

Então que não podemos concordar para inversão dos valores éticos e morais, nem essa manipulação dos raça pela esquerda e diferente menos na direção de troca dos papéis entre agressores e agredidos. Ou lutamos pelo nosso recta à legítima resguardo e o exercemos, ou ficaremos indefesos.

Com destino a esquerda continuamente defenderá o Estado e seus próprios interesses através do monopólio da filtração estatal. Desta forma, cabe aos raça defenderem-se da esquerda e seus protegidos. Se deixarmos nas mãos dessa organização criminosa (chamada Estado) para tarefa a nos tutelar dentre qual eles defendem, qual nos defenderá do Estado?

Roberto Barricelli é Assessor com Prelo do Instituto Liberal. Responsável a blogs, repórter, poeta e redactor. Paulistano, assumidamente Liberal, é voluntário na resistência às doutrinas coletivistas e autoritárias

Essa teor foi originalmente publicado junto de portal do Instituto Liberal

Deixe uma resposta