Dispneia

    0
    56

    A dispneia

    Muito conhecida como falta de ar a dispneia é uma complicação bastante comum. Não se trata de uma doença em si mas sim de um sintoma que pode ser característico a uma série de condições.

    A pessoa com dispneia apresenta dificuldade na respiração ou desconforto ao tentar respirar. A exaustão após realizarmos exercícios físicos leva à falta de ar e a um quadro de dispneia a qual pode ser considerada medicamente comum.

    São muitas as causas que podem provocar a complicação. Desde doenças ou patologias graves a simples acontecimentos como uma corrida matinal por exemplo. O tratamento vai variar bastante também visto o leque de opções a serem consideradas para tanto.

    A dificuldade para respirar pode ser algo muito incômodo. Todas as pessoas que sofrem da condição devem consultar um médico. O quadro pode ser sintoma de uma grave doença assim como pode também ser algo de simples resolução.

    A dispneia costuma receber diferentes nomes durante um diagnóstico para que o indivíduo ganhe o tratamento mais correto. Pode ser por exemplo uma dispneia de esforço uma ortopnéia uma dispneia paroxística noturna uma asma cardíaca uma platipnéia ou uma trepopnéia.

    Agente causador

    São inúmeras as causas de uma dispneia sendo que o agente causador da mesma é quem ajuda a estabelecer uma identificação com a terminologia da condição. Os principais fatores que levam à falta de ar são por exemplo a asma a pneumonia a tuberculose outras infecções pulmonares o edema pulmonar o câncer de pulmão o derrame pleural volumoso e a hemorragia pulmonar.

    Podemos destacar também a obesidade a hipertensão enfartes traumas e defeitos ósseos como agentes causadores. A anemia a asbestose a ansiedade e a gravidez devem ser consideradas. Inclusive este sintoma é muito comum em mulheres grávidas principalmente no segundo e no terceiro trimestre.

    Como se descobre a doença (diagnóstico)

    A dispneia não pode ser considerada uma doença. No entanto é muito importante seu diagnóstico precoce já que ela pode estar vinculada a uma série de transtornos preocupantes.

    É imprescindível portanto que diante de sinais se consulte um médico sejam eles quais forem. Somente um profissional capacitado está apto a dizer se o problema é ou não sério e como proceder com o tratamento.dispneia e falta de ar

    Um médico capacitado consegue facilmente detectar a falta de ar. A força para respirar é evidente. Parece que o ar que entra não é o suficiente e o paciente sofre com isto. Além da contração nos músculos do peito e da barriga o indivíduo apresenta outros sinais que auxiliam no diagnóstico. As narinas aumentam e diminuem muito em diâmetro assim como os lábios e dedos ficam com tons de roxo.

    Para definir qual é a causa da complicação o profissional terá que realizar alguns exames físicos e laboratoriais. De uma forma geral para saber se a dispneia é indicadora ou não de uma doença grave é necessário avaliar primeiramente o grau de oxigenação do sangue. Para tanto o médico faz uso de um aparelhinho chamado de oxímetro de pulso capaz de verificar apenas com a utilização dos dedos o grau de oxigênio no sangue. Depois dos resultados é importante que o tratamento tenha um início imediato.

    Sintomas

    A pessoa que sofre com dispneia apresenta dificuldade ou desconforto ao respirar. O sinal mais preocupante da condição é a cianose caracterizada pelo tom arroxeado de dedos nariz e lábios devido à falta de oxigênio no sangue.

    O baqueteamento digital é também outro sintoma bastante comum aos pacientes com dispneia. Esta complicação gera um quadro no qual os dedos ficam parecidos com baquetas de tambor daí o estranho nome. Indivíduos com o problema apresentam frequentemente grandes variações no diâmetro das narinas. Eles também fazem mais força nos músculos da barriga e do peito para respirar. A dispneia é algo que incomoda e muito. Diante dos sintomas não hesite em pedir por ajuda.

    Prevenção

    A melhor forma de prevenir uma dispneia é frequentando médicos periodicamente e realizado exames de rotina. Através deste hábito não somente este como uma série de problemas pode ser precocemente detectado e melhor tratado.

    A dispneia é um sintoma de várias doenças por isto é tão importante o rápido e correto diagnóstico. Dependendo do agente causador ela pode ser prevenida com o uso de alguns medicamentos no entanto caso o dano seja muito grande pode ser uma situação sem volta. Infecções pulmonares por exemplo costumam provocar falta de ar. Dependendo da origem e da gravidade da mesma a dispneia pode não ser evitada.

    É muito importante conversar com um profissional assim que os primeiros sintomas começarem a aparecer. Somente um médico é capaz de avaliar um estado e de indicar a abordagem mais certa e eficiente para o tratamento. Este pode ser tanto fácil e rápido como longo e difícil. Portanto não deixe de pedir por auxílio quando a condição surgir.

    Tratamento

    O tratamento da dispneia envolve uma série de alternativas. Estas variam muito dependendo do que vem provocando a complicação. Se for uma falta de ar devido à pneumonia por exemplo algum antibiótico será receitado. Caso seja devido a uma anemia será preciso fazer uma transfusão de sangue. Em situações de dispneia por insuficiência cardíaca faz-se uso de diuréticos. E assim por diante.

    Enquanto o problema não for resolvido é preciso ficar atento ao paciente de forma a garantir que ele receba o oxigênio necessário para sobreviver. Em casos de O2 reduzido é indicado tratamento com oxigênio suplementar. Entubações e adaptações de ventiladores mecânicos podem ser medidas necessárias.

    Alguns problemas não possuem simples solução. Com isto muitas pessoas precisam aprender a lidar com a falta de ar. Alguns indivíduos necessitam passar até mesmo mais de 12 horas por dia com máscaras de oxigênio no rosto. No entanto situações como infecções ou traumas podem ser mais fáceis de resolver variando obviamente com a idade e com a condição do organismo da pessoa.

    Em todos os casos a consulta ao médico é o mais importante. Esta medida deve ser tomada diante dos primeiros sinais. Nunca realize automedicação pois alguns fármacos podem piorar e muito o quadro.

    Deixe uma resposta