Hipoplasia

    0
    123

    O que é hipoplasia?

    É um termo utilizado para designar a diminuição da atividade que leva à formação dos tecidos orgânicos. Com isto ocorre o hipodesenvolvimento de órgãos ou de tecidos já que as células que os compõem estão presentes em menor número.

    O órgão afetado se torna mais leve do que o normal porém os padrões de sua arquitetura não sofrem modificações. São várias as causas que podem levar a esta condição sendo que a mesma pode afetar uma série de órgãos diferentes. A má formação e o mau desenvolvimento do feto no útero podem ser motivos. Ações fisiológicas e patológicas também.

    A hipoplasia provoca durante a embriogênese um defeito na formação de parte de algum órgão ou nele como um todo. A do tipo pulmonar é um exemplo disto. Depois do nascimento a diferenciação celular já é resultado da queda do ritmo de renovação das células do aumento da distribuição das mesmas ou uma decorrência das duas condições.

    Dependendo do local acometido o prognóstico tende a variar assim como os sintomas e as medidas para o tratamento. De forma geral é importante que um médico seja consultado. Independente da modalidade a hipoplasia necessita ser avaliada.

    hipoplasia dentaria

    Agente causador

    A deficiência de formação dos tecidos orgânicos pode ser provocada por inúmeros fatores. A causa mais comum é uma disfunção durante a gestação quando um defeito leva à formação incorreta do órgão.

    O uso de drogas e a exposição uterina a drogas são consideradas também situações alarmantes para tanto. Infecções doenças diversas e certas substâncias químicas são outros pontos a serem levados em conta. A hipoplasia pode ser também provocada por fatores externos como a radiação e até mesmo por causas ambientais.

    Como se descobre a doença (diagnóstico)

    O diagnóstico vai depender bastante do local a ser estudado. Cada região do corpo que é afetada desenvolve algumas manifestações específicas A hipoplasia cerebelar por exemplo acomete o sistema nervoso central e costuma ser detectada através de uma imagem latente do cérebro e do cerebelo. Já a de coração pode ser descoberta através de uma ecocardiografia ou de um ultrassom. A hipoplasia pulmonar é o desenvolvimento inadequado do parênquima pulmonar e pode ser diagnosticada por meio de ressonâncias magnéticas ou de ultrassonografias morfológicas. Uma radiografia de tórax e uma tomografia computadorizada de tórax também podem ajudar neste sentido assim como a cintigrafia pulmonar e a broncoscopia.

    Portanto dependo dos sinais clínicos e do histórico do paciente o médico irá escolher a melhor ferramenta para o diagnóstico. É importante conseguir estabelecer uma certeza sobre os motivos das disfunções para que o tratamento seja o mais efetivo possível.

    O prognóstico pode ser positivo isto varia de acordo com o local afetado e com a gravidade do problema. É fundamental que diante dos primeiros sintomas se busque por ajuda. Muitas crianças já nascem com a disfunção devido a alguma má formação fetal. É papel dos pais ter atenção ao comportamento dos filhos para que estes sejam avaliados por um profissional sempre que necessário.

    hipoplasia

    Sintomas

    Assim como com relação ao diagnóstico os sintomas de uma hipoplasia podem ser bem variados. Dependendo do local acometido e da intensidade da agressão os sinais possuem características em específico.

    A hipoplasia pulmonar por exemplo acaba provocando transtornos como:

    • Insuficiência respiratória;
    • Atraso no desenvolvimento motor;
    • Hepatomegalia.

    Já a hipoplasia cerebelar pode ser caracterizada por:

    • Ataxia discreta;
    • Dificuldade em manter a postura;
    • Distúrbios de equilíbrio;
    • Hidrocefalia;
    • Convulsões;
    • Hipotonia muscular;
    • Contrações musculares involuntárias;
    • Ausência completa de coordenação;
    • Movimentos involuntários com os olhos.

    A hipoplasia do coração provoca sintomas como:

    • Cianose moderada;
    • Sopro;
    • Batimento cardíaco muito acelerado;
    • Respiração ofegante.

    A hipoplasia de próstata é caracterizada por:

    • Necessidade frequente de urinar;
    • Diminuição do jato urinário;
    • Crescimento da próstata;
    • Infecções urinárias;
    • Dor ao urinar;
    • Incapacidade de esvaziar a bexiga.

    São muitas as variedades de hipoplasia e cada uma possui alguns aspectos em específico. O ideal é que diante de qualquer sintoma logo se procure por um médico. O profissional saberá avaliar corretamente cada situação e indicará o melhor caminho a seguir.

    Prevenção

    A prevenção pode ser feita basicamente ao se adotar hábitos de vida saudáveis. Por exemplo mulheres grávidas devem cortar o fumo e as bebidas alcoólicas pois estas substâncias são extremamente agressivas para o bebê e influem no seu desenvolvimento.

    hipoplasia do coração esquerdoUma série de substâncias químicas e de drogas como a cocaína são potenciais fatores para à má formação fetal. Além disto fatores ambientais e externos como a radiação também podem levar a este quadro. É preciso portanto cuidado. Infecções e doenças de uma forma geral também podem provocar a hipoplasia. Toda condição necessita do devido tratamento e atenção para que futuras complicações não venham a ocorrer.

    Consultar um médico periodicamente e realizar exames de rotina é um hábito que todos devem adquirir. Desta forma o corpo fica melhor monitorado e qualquer espécie de disfunção pode ser precocemente detectada. Para a grande maioria das enfermidades quanto antes for o diagnóstico mais positivo será o prognóstico.

    Tratamento

    O tratamento também irá variar de acordo com o local acometido. Certas hipoplasias são mais agressivas do que outras e todos os fatores devem ser levados em consideração na hora do prognóstico. De um modo geral medicamentos são utilizados com o intuito de diminuir os sintomas e de prevenir complicações.

    O órgão acometido recebe uma ajuda extra de fármacos e cirurgias podem ser levadas em conta em certos casos por exemplo na hipoplasia de próstata. A hipoplasia de coração também pode ser tratada com cirurgias assim como com transplantes cardíacos. Já a hipoplasia cerebelar não possui um tratamento em específico e o estado mental do paciente é fundamental para o prognóstico.

    Independente da hipoplasia todas devem ser avaliadas por um profissional. Os perigos devem ser excluídos ou monitorados para que a saúde seja preservada. Com o uso de alguns medicamentos e a adoção de medidas preventivas a qualidade de vida dos portadores da condição pode melhorar significativamente basta que se procure por ajuda.

    LEAVE A REPLY