Histiocitose

    0
    105

    O que é Histiocitose?

    A histiocitose é caracterizada quando o paciente desenvolve um número considerado com excesso de doenças raras. Esse termo define que a pessoa é portadora de doenças não comuns e a lista pode ser extensa.

    As doenças raras que levam este nome apresentam excesso de histiocitos que são células do sistema de imunidade do paciente.

    Destacam-se três enfermidades raras que são relacionadas ao paciente portador. São elas a doença de Letterer –Siwe. Neste caso o paciente desenvolve o problema antes mesmo de completar três anos de idade. Se não for realizado o tratamento adequado e com tempo hábil pode levar a morte. O paciente com esse problema pode afetar o pulmão pele e também o fígado.

    Outro caso que é relacionado com a histiocitose é a doença de Hand Schuller –Christian. Os pacientes que desenvolvem esse problema apresentam os sinais ainda na infância mas pessoas que passam pela fase da meia idade também são pacientes frequentes desse problema. Quando isso acontece o paciente tem os ossos e também o pulmão afetado. Se além desse problema o paciente sofrer de diabetes pode chegar a desidratação.

    A terceira doença na listagem é o granuloma eosinófio que atinge paciente com idade entre 20 e 40 anos. Esses pacientes têm cerca de 20% dos ossos afetados além do pulmão.

    A doença pode levar o paciente a uma doença pulmonar crônica.

    Histiocitose não pega

    Como se adquire

    Não existem estudos que possam relacionar os motivos da doença. As três síndromes citadas acima não apresentam questões genéticas ou relação com outras doenças.

    O que se sabe é que o problema de saúde pode ser considerado como benigno e os pacientes que desenvolvem essa doença apresentam lesões em diversas partes do corpo e organismo que podem ser ou não isoladas uma das outras. Em alguns casos pode sim levar o paciente a morte independente da idade ou do tipo da síndrome.

    Sintomas

    Uma grande dificuldade em identificar e posteriormente tratar essa doença é que em alguns casos o paciente não desenvolve sintomas e com isso o diagnostico fica comprometido e assim o paciente pode correr o risco até de falecer sem que seja identificado o problema a tempo de tratar.

    Quando surgem sintomas os principais e mais comuns são a tosse falta de ar em alguns casos junto com a perda de peso. Os sintomas podem acontecer de forma aleatória e isolada.

    Alguns pacientes em estado avançado do problema apresentam o colapso pulmonar também conhecido como pneumotórax.

    Quando o paciente apresenta tosse geralmente costuma ser seca o paciente também pode sentir fadiga e passar por momentos instáveis de temperatura apresentando febre.

    Histiocitose

    Diagnóstico

    Além de checar o histórico dos sintomas é necessário que o paciente seja orientado pelo médico para a realização de alguns exames. Um deles é o exame físico junto com exames de laboratórios.

    Para um diagnostico mais completo e preciso o paciente também deve realizar broncoscopia e outro exame chamado de videotorascópica. Estes são realizados em apenas 5% dos casos quando ainda suspeitos da doença.

    Alguns pacientes apresentam junto com o diagnostico outras doenças como a fibrose cística sarcoidose e fibrose pulmonar.

    Há casos em que a radiografia do tórax é um dos exames que auxiliam na busca e identificação da doença.

    Como é feito o tratamento

    Em todos os três tipos de síndrome o tratamento geralmente é o mesmo. O que muda uma das outras é que afeta idade e órgãos diferentes mas o método de cura tende a ser um só.

    Com base em medicamentos que atuam no combate aos sintomas o problema tende a ser amenizado. Quando não acontece o tratamento ideal o paciente pode sim ir à morte pois a doença atinge especificamente o pulmão e alguns casos se referem a problemas respiratórios.

    Durante o tratamento os pacientes que fumam devem imediatamente eliminar esse vício que afeta principalmente o pulmão região chave dessa doença.

    Histiocitose-causas

    Como prevenir

    Como a doença não apresenta históricos de motivação fica mais complexo aos especialistas definirem traços de prevenção desse problema.

    Em todo caso é aconselhável o fim do consumo de cigarros pois quem fuma prejudica integralmente o pulmão órgão que é mais afetado no caso de quem sofre dessa doença.

    Essa é considerada a principal dica de prevenção dessa doença e também serve aos pacientes que já sofrem dessa doença. Quando em tratamento a suspensão ao consumo de cigarros deve ser imediata.

    Em um modo geral cabe ao paciente sempre realizar exames preventivos e manter-se sempre atento aos sinais de anormalidade no dia a dia disposição e saúde. Percebendo qualquer alteração é necessário que se procure ajuda médica.

    Essa doença pode não apresentar sintomas o que dificulta o diagnostico e compromete a vida do paciente pois sem a identificação da doença o tratamento fica mais distante permitindo assim que a taxa de mortalidade da doença aumente. A doença é considerada como uma das doenças raras em todo o mundo.

    Deixe uma resposta