Iodoterapia

0
130
iodoterapia
O que é iodoterapia?

O que é iodoterapia?É um tratamento indicado para pacientes que possuem disfunções na glândula tireóide. O câncer da tireóide por exemplo é tratado com cirurgia e posterior uso terapêutico de iodo 131 a forma radioativa do iodo. A iodoterapia consiste portanto na ingestão de determinada quantidade de iodo radiativo. Por ser um elemento radioativo os pacientes que passam por este procedimento necessitam ficar isolados em quartos especiais de forma a não colocar a vida de outras pessoas em risco.

A tireóide é o local que mais atrai iodo no corpo humano puxando para ela grande parte do material que é ingerido. Quando o iodo está próximo à glândula a radiação age sobre as células e os tecidos quando há necessidade promovendo com isto a eliminação de tumores e de restos de tecidos cancerígenos. Além disto o iodo radioativo pode ainda atuar em outros locais do corpo humano em casos que tenha havido metástase.

O procedimento é realizado em hospitais e existem preparativos importantes para o dia da iodoterapia assim como cuidados para o pós-procedimento. Alguns efeitos colaterais também costumam ser identificados como boca seca e alterações de humor.

Quando é indicado

O tratamento serve para a remoção de células da tireóide que estejam produzindo hormônios em quantidade exagerada em casos de hipertireoidismo por exemplo. Ele também é indicado conforme mencionamos acima para o tratamento do câncer da tireóide tendo em vista a destruição de células cancerígenas que ainda estejam no corpo do paciente.

Pessoas com hipertireoidismo com bócio com câncer de tireóide ou com nódulos na tireóide por exemplo são geralmente encaminhadas para este procedimento. Mulheres grávidas ou que estejam amamentando não podem ser submetidas à iodoterapia.

Como é o procedimento

Cada paciente pode ingerir determinada quantidade de iodo radioativo sem que a medula óssea seja afetada. Depois de todos os preparativos e exames necessários para a iodoterapia a pessoa vai ao hospital para que o procedimento tenha então início. No dia da internação não é necessário fazer jejum apenas seguir a dieta exigida para o procedimento. Antes da administração da dose no entanto é preciso um jejum de seis horas incluindo líquidos. É recomendado que o paciente compareça com carro próprio ou vá de taxi já que ele não poderá deixar o hospital utilizando transporte público.

O iodo radioativo é incolor e não tem gosto. Ele é posto em um recipiente especial e o paciente o toma com um canudinho de forma a evitar que ele coloque a mão no recipiente. Como a tireóide atrai para ela o iodo ao atrair o iodo radioativo ela irá sofrer com a radiação permitindo que células cancerígenas que tenham sobrado após a cirurgia sejam eliminadas. Dependendo da quantidade ingerida de iodo o paciente pode ou não ficar internado. Quando a dose é baixa ele volta para casa no mesmo dia caso contrário há necessidade de internação em um quarto especial.


Saiba mais

Exame de ACTH

Endoscopia Digestiva Alta

Exame lipase


Quais são os preparativos

É fundamental seguir a dieta que será passada por 2 semanas antes da internação sendo necessário ficar sem ingerir iodo por este período. Fica proibido por exemplo a ingestão de sal iodado de sal marinho de carnes com sal de salgadinhos de doces com gema de ovo de temperos com sal de presunto de queijo de requeijão entre outras coisas. A dieta é bem restritiva pois muitas coisas possuem iodo. No entanto ela deverá ser seguida à risca por 2 semanas antes da internação.

Além disto todos os medicamentos para tireóide devem ser suspensos 3 semanas antes da internação. Cinco dias antes um exame de sangue para dosagem do TSH será realizado de forma a verificar se o paciente está apto para a iodoterapia.

Riscos e efeitos colaterais

Os efeitos colaterais variam de acordo com o organismo do paciente e com a dose de iodo radioativo ingerida. Ficar com a boca seca por exemplo é um efeito comumente detectado assim como alterações no humor. Para evitar transtornos é necessário portanto ingerir muita água.

Outros possíveis riscos e efeitos colaterais são sensibilidade no pescoço enjoos dores na barriga e alterações no paladar. Para que o paciente não coloque a vida de ninguém em risco desnecessariamente ele deve permanecer em um quarto especial depois do procedimento.

 

 

O que ocorre após o exame

Na grande maioria das vezes o paciente precisa ficar em um quarto isolado por alguns dias no máximo uma semana. Durante a permanência a quantidade de iodo no corpo vai sendo medida até chegar a um nível seguro para que ele deixe o hospital.

Visitas são proibidas durante a permanência no hospital assim como sair do quarto. Depois de 2 horas da ingestão do iodo o paciente já pode beber e comer. Ao receber alta é importante não levar para casa a escova de dentes ou o sabonete assim como a roupa utilizada deve ser lavada várias vezes e guardada por um tempo. Por 1 semana é importante ficar longe de outras pessoas algo em torno de 2 metros.

LEAVE A REPLY