Lombalgia a famosa Dor nas Costas

    0
    65

    O que é lombalgia?

    Conhecida popularmente como dor nas costas a lombalgia é um conjunto de sintomas que agride a região lombar. O incomodo é causado por alguma anomalia na área e possui fatores diversos. Esta é uma das principais causas de incapacidade funcional e de morbidade sendo somente menos frequente que a cefaleia. Possivelmente todas as pessoas virão a sofrer com este transtorno um dia podendo acometer tanto homens quanto mulheres de ambos os sexos.

    A lombalgia gera dor crônica ou aguda na região lombar. Esta é uma importante área da coluna vertebral tendo como uma das principais funções o apoio estrutural e a manutenção da flexibilidade do corpo. Cinco vértebras compõem esta região e entre cada uma delas estão os discos de fibrocartilagem que além de protegerem a coluna ainda impedem o atrito entre as vértebras.

    Quando é do tipo aguda esta enfermidade provoca dores de início súbito e que geralmente levam até 3 meses para sumir. As crônicas se estendem por um período maior e requerem um tratamento diferenciado. Em alguns casos até mesmo uma cirurgia pode ser considerada. Dor nas costas é algo que incomoda muito e que deixa diversos movimentos restritos. O tratamento pode ser simples e rápido portanto não deixe de procurar por ajuda médica. Sua qualidade de vida pode ser bem melhor.

    lombalgia

    Agente causador

    A dor nas costas pode ser causada por uma série de fatores. Alguns são genéticos e antropológicos por exemplo. Outros podem ser devido a atividades profissionais que exijam muito da região lombar. Maus hábitos posturais e sedentarismo são outras causas assim como obesidade fumo e traumas.

    Qualquer anomalia que agrida a área pode desencadear este tipo de transtorno. Trabalho repetitivo gravidez síndromes depressivas e problemas psicossociais são outros fatores de risco. É preciso ficar atento à postura e a exercícios físicos realizados de forma incorreta. Até mesmo má qualidade do sono e fadiga podem provocar lombalgia.

    Como se descobre a doença (diagnóstico)

    dor nas costasDevido às diferentes causas que podem levar à lombalgia o diagnóstico necessita ser detalhado para que o tratamento seja efetivo. Através de uma conversa com o paciente e de um exame físico detalhado o médico já começa a suspeitar das causas do transtorno. Pessoas com trabalhos repetitivos que ficam muitas horas em pé ou sentadas que praticam muito exercício físico ou que tenham má postura por exemplo provavelmente virão a desenvolver um quadro como este. O profissional fica portanto atento a estes detalhes durante o diagnóstico.

    Para identificar a origem da dor o médico pode se valer de alguns exames como a tomografia o raio-x e a ressonância magnética. Estes exames de imagem ajudam a determinar a posição da lesão e também o tamanho da mesma. Após determinada a causa do problema e a sua localização o tratamento mais adequado deve ser iniciado.

    Dor nas costas pode ser algo muito incomodo e acaba deixando várias pessoas impossibilitadas de realizar até as tarefas mais simples do dia a dia. O ideal é procurar por ajuda médica assim que os primeiros transtornos começarem a surgir pois o tratamento costuma ser fácil e efetivo.

    Sintomas

    Os principais sintomas relacionados à lombalgia são:

    • Dor na lombar;
    • Restrição de movimentos;
    • Contratura muscular.

    A dor na lombar é caracterizada como discreta no começo com aumento progressivo de intensidade. Esta acomete principalmente a área acima das nádegas próxima à cintura. Devido à dor normalmente ocorre contratura muscular na região. As crises podem durar alguns dias sumir e então reaparecer. Estas também podem ser do tipo constante que somente aumentam em intensidade em certos períodos.

    A lombalgia aguda tende a desaparecer com o tempo e com o tratamento se este for realizado com responsabilidade e atenção. Já a crônica pode permanecer por anos e caso não receba tratamento atrapalhar até mesmo as simples atividades cotidianas. É importante que diante dos sintomas mencionados acima logo se procure por ajuda médica. Há disponível no mercado um número enorme de fármacos que ajudam a amenizar os sintomas e diversas modalidades terapêuticas para tratar das dores.

    Prevenção

    Simples medidas podem ajudar a evitar casos de lombalgia. Caso a pessoa passe muito tempo de frente para o computador por exemplo o ideal é manter o monitor no nível dos olhos e os pés apoiados no chão. Para levantar algum objeto do solo flexione os membros inferiores de forma a manter a coluna ereta no momento de elevação. Ao carregar mochilas muito pesadas mantenha o tronco sempre reto e distribua o peso nos dois ombros. Quando for levantar da cama primeiro se mova para o lado e depois coloque as duas pernas para fora.

    Faça exercícios de alongamento e de flexibilidade sempre com a supervisão de um profissional. Cuide bem da sua saúde e mantenha uma dieta equilibrada já que a obesidade é um fator que contribui com lombalgias. Sedentarismo é outro motivo desencadeante portanto coloque o seu corpo para funcionar e pratique atividades físicas nem que seja uma simples caminhada.

    Durante viagem longas evite ficar muito tempo sentado. Evite também movimentos repetitivos e fazer força na região lombar. Diante de qualquer sinal que seu corpo possa estar lhe enviando não hesite em procurar por ajuda. Quando antes diagnosticada a doença mais efetivo será o tratamento.

    Tratamento

    Este consiste basicamente no alívio das dores na prática de exercícios físicos que melhorem o tônus muscular e na realização de atividades que corrijam a postura. Fármacos como os analgésicos são medicamentos utilizados no tratamento tanto da lombalgia aguda quanto da lombalgia crônica. Em certas circunstâncias pode ser necessário algum tipo de intervenção cirúrgica para alívio de dores intratáveis ou em casos de dores que possuem origem estrutural.

    Esta é uma enfermidade que possui solução na maioria dos casos. Portanto não há motivos para passar a vida inteira com dores. Consulte um médico e descubra qual é a abordagem mais adequada para o seu caso. O importante é não realizar automedicações já que o uso incorreto de medicamentos pode piorar ainda mais a situação ou ainda mascarar alguma doença mais grave.

    Deixe uma resposta