Mormo

    0
    37

    O que é Mormo?

    A doença também é conhecida como lamparão e é uma doença infectocontagiosa que geralmente afeta animais como asnos cavalos cachorros gatos e também o homem.

    A bactéria responsável por essa infecção é a Burkholderia mallei e leva o paciente ou o animal a ser contaminado pelo contato e ingestão de água ou alimento contaminado.

    Essa doença afeta pessoas e animais desde 1968 e na década de 90 foi considera como uma enfermidade extinta do Brasil. Mas no ano 2000 estudos mostraram a doença em algumas regiões do pais principalmente no nordeste brasileiro.

    O contato com os infectados pode acontecer por meio do pus urina e também da secreção nasal. Assim os agentes que causam a doença e estão presentes nesses meios podem passar a bactéria para uma pessoa saudável ou também o animal principalmente o doméstico.

    Por via respiratória a pessoa pode contrair a bactéria e desenvolver a doença. A incubação dura em médica quatro dias. A doença também pode afetar órgãos do paciente como o pulmão e fígado que são de grande importância para o desenvolvimento do organismo do paciente.

    Como se adquire

    A forma de contrair a doença é por meio da bactéria que afeta o paciente ao estar presente em alimentos contaminados ou também na água.

    Essa situação acontece por meio do contágio que passa de pessoas para pessoas e quando presente em alimentos é passada ao paciente por meio da ingestão do que está contaminado.

    Os animais podem adquirir a doença pelo mesmo meio de contágio: alimentos ou bebidas e no caso dos animais quando em contato com urina infectada também podem adquirir a doença.

    Sintomas

    A doença apresenta alguns sintomas característicos como nódulos e leões no pulmão além de mucosa na região nasal e também a secreção.

    A febre tosse constante emagrecimento e problemas no abdômen também podem completar a lista de sinais da doença.mormo

    A doença existe na forma crônica e também aguda. A doença apresenta alta taxa de mortalidade e os sintomas geralmente são os mesmos tanto no homem quanto nos animais.

    Quando a doença acontece na forma crônica os sintomas específicos são a febre de 42ºC a fraqueza e também a prostação.

    Ainda na forma crônica situações de dispnéia e problemas na região nasal podem completar a lista.

    Quando o mormo acontece na forma crônica a doença apresenta sinais diferentes na pele do paciente além de causar fossas nasais o pulmão fica com a evolução mais lenta e pode mostrar problemas cutâneos.

    Diagnóstico

    Existem duas formas distintas e especificas de diagnosticar a doença são elas a forma técnica que consiste no isolamento da bactéria.

    A outra forma é conhecida como técnica indireta e acontece por meio de pesquisas dos anticorpos do paciente.

    Quando a doença afeta os animais o bicho contaminado deve ser isolado dos outros para evitar a doença se espalhe nos demais animais que convivem próximo ao que está doente.

    Tanto em homem quanto em animal a doença apresenta alta taxa de mortalidade.

    Exames de sangue podem ajudar a completar o diagnostico identificando e mostrando a presença da bactéria no organismo do paciente.

    Assim que identificado o problema o homem ou animal é direcionado ao tratamento da doença.

    Como é feito o tratamento

    No animal a doença é contida por meio de medicamentos. Durante o processo de tratamento o animal permanece em situação de isolamento. O período em que a medicação leva para fazer efeitos chega a 20 dias. Esse é o tempo base que o animal fica isolado. Depois disso pode voltar ao convívio com outros animais e ainda assim deve fazer uso da medicação.

    Quando a doença atinge o homem não é necessário o isolamento por completo apenas cuidados preventivos para que a pessoa não passe a bactéria para outras pessoas.

    A medicação também faz parte do tratamento junto com o cuidado com os alimentos que possam conter a bactéria que muitas vezes é a responsável pela transmissão da doença.

    O tratamento dura em média 15 dias para aliviar os sintomas e amenizar os efeitos da doença.

    Como prevenir

    A prevenção da doença consiste na atenção com o contato direto com pessoas infectadas da doença.

    Os alimentos merecem atenção em especial pois por meio deles a doença também pode ser contraída.

    Assim que a doença for identificada seja no animal ou no homem a Defesa Sanitária do Município deve ser avisada de imediato.

    O paciente alimento ou local infectado deve ser isolado para que não haja mais casos da doença.

    Com a suspeita da doença é essencial que o paciente procure um médico para que o tratamento seja imediato para evitar a mortalidade do paciente e também a infecção em outros homens ou animais.

    Geralmente o problema acomete os animais por isso em contato com regiões rurais atente-se aos possíveis sintomas que possam surgir para que havendo alterações no organismo do paciente o médico seja procurado.

    Compartilhar
    Artigo anteriorCoceira na Virilha
    Próximo artigoAnosmia

    Deixe uma resposta