O que grávida pode ou não comer?

0
52
 A grávida e a alimentação

Cuidar da alimentação é importante para todas as pessoas. Uma dieta saudável e equilibrada traz uma série de benefícios e torna o dia a dia muito melhor. No caso da mulher grávida no entanto cuidar da alimentação não é somente importante é fundamental visto que ela é a grande responsável pela nova vida que se desenvolve em seu corpo.

desenvolvimento do bebê a mulher grávida também precisa estar forte e saudável para promover e para lidar com as mudanças em seu próprio corpo. Durante a gestação é indicado comer de 3 em 3 horas especialmente proteínas vitaminas e ferro.

No período da gestação o corpo da mulher tira total proveito de tudo que é ingerido. Por isso se a gestante souber comer certinho ela nem vai precisar aumentar a carga de alimentos. Não é necessário comer por dois é preciso aprender a comer pelos dois de forma que tenha uma alimentação saudável e equilibrada.

De uma forma geral é somente no terceiro trimestre que realmente é necessário aumentar a quantidade de calorias ingerida em média 200 ou 300 calorias a mais do que o usual. Entretanto isto não é algo para se preocupar já que 4 fatias de pão integral chega facilmente a esta marca.

A grávida pode comer de tudo?

Não existem alguns alimentos que devem ser cortados do cardápio até o final da gestação. Não é que eles façam mal e que nunca mais devem ser comidos apenas é indicado esperar o final da gestação para tanto.

Da mesma forma existe uma série de alimentos que precisam ser incluídos no cardápio diário pois é necessário ter certeza de que o bebê está recebendo todos os nutrientes vitaminas e sais minerais fundamentais para o seu desenvolvimento. Antes de tomar qualquer medida converse com um profissional. Geralmente o ginecologista monta um esqueminha de acordo com as características de cada gestante para ajudar nesta tarefa nutricional.

O que a grávida deve comer?

De uma forma geral a mulher grávida precisa comer mais proteínas vitaminas e ferro. No entanto é fundamental ter atenção a cada período da gravidez para arranjar o cardápio de forma a garantir que o bebê receba tudo que for necessário para o seu devido desenvolvimento. Por exemplo o primeiro trimestre da gestação é um período importante para o desenvolvimento das partes vitais do feto marcado por um aumento do volume do sangue e da frequência cardíaca da futura mamãe. Neste momento é muito importante que a alimentação seja repleta de ferro e de ácido fólico encontrados no feijão no ovo no espinafre no brócolis e nos cereais sendo que as frutas cítricas ricas em vitamina C auxiliam na absorção.

A vitamina C é também importante no segundo trimestre da gestação pois atua na formação de colágeno dos ossos dos vasos sanguíneos da pele e das cartilagens assim como fortalece o sistema imunológico da mulher. A vitamina B6 é também fundamental já que favorece o ganho de peso do bebê e ainda previne a depressão pós-parto. Ela é encontrada em alimentos como o trigo o milho o leite e o peixe por exemplo enquanto que a vitamina C está em frutas como a laranja o kiwi o melão e a melancia.

Para ajudar na construção na renovação e na manutenção dos tecidos as proteínas são fundamentais. Portanto deve-se comer carne feijão e leite. A ingestão de cálcio e de vitamina D precisa ser maior do que o usual durante o terceiro trimestre pois este é o momento da formação óssea do feto. Além disto estes itens auxiliam nos batimentos cardíacos e na contração muscular.

gravidez-alimentacao

O que a grávida não pode comer?

No período da gestação é importante saber o que grávida não pode comer e evitar alguns alimentos como peixes e frutos do mar crus por exemplo sushi e ostras a não ser que tenham sido congelados antes do consumo. Bife de fígado e miúdos também não são indicados neste período pois a sobrecarga de da vitamina A em forma retinoica pode ser prejudicial ao desenvolvimento do feto.

Carnes malpassadas tanto a de boi como a de porco assim como ovos crus precisam ser cortados do cardápio pois pode haver a presença de bactérias que afetem negativamente o bebê. Algumas sobremesas como o mousse precisam ser evitadas da mesma forma.

Peixes como o cação e o peixe espada por exemplo podem apresentar altos índices de mercúrio e devem ser evitados na gestação e no período de amamentação. O consumo de atum também precisa ser limitado algo como no máximo uma lata por semana.

Queijos com casca branca como o camembert e o brie por exemplo necessitam ser cortados do cardápio assim como aqueles que contenham fungos como o gorgonzola e o roquefort. Por fim evite também queijos do tipo frescal pois como às vezes são produzidos leite não-pasteurizado podem ter bactérias prejudiciais ao bebê.

Deixe uma resposta