Proteína do HIV uma nova arma para combater o Cancêr

    0
    88

    O que é câncer?

    É um nome genérico dado a cerca de 100 doenças diferentes que possuem como característica em comum o crescimento indevido de células em determinado local do organismo. Estas invadem órgãos e tecidos e podem se espalhar rapidamente para vários locais do corpo. O acúmulo destas células cancerosas é o que dá início ao surgimento de um tumor.

    A multiplicação tende a ser acelerada e dependendo do tido de célula atingida o câncer recebe um nome diferente. Existem vários tipos de câncer de pele por exemplo já que esta é formada por mais de uma espécie de célula. A velocidade da multiplicação e a capacidade de invasão são também outros fatores que influem na diferenciação entre os cânceres.

    Todas as células do nosso corpo são compostas por três partes: núcleo membrana celular e citoplasma. É no núcleo que ficam os cromossomos. Estes são formados por genes. Os genes são uma espécie de memória que guardam e fornecem todas as informações para o bom funcionamento do organismo. Eles são uma parte do DNA que passa os dados básicos sobre a produção de proteínas. Quando há algum tipo de alteração nos genes ocorre uma “mutação genética”. Com isto as células passam a agir de forma estranha e podem se tornar malignas ao corpo humano.

    hiv contra o cancer

    Quais são as causas?

    São bastante variadas as causas que podem levar um gene a sofrer mutação. Algumas são internas outras externas ou até mesmo devido à combinação de ambos os fatores. Por exemplo exposição excessiva ao sol pode ocasionar um câncer de pele. O hábito de fumar um câncer de pulmão. Alguns vírus provocam a leucemia certos alimentos outros tipos de câncer. Fatores ocupacionais como inalação de tóxicos e de fumaças também influem para uma mutação. Assim como medicamentos hábitos sexuais e estilo de vida.

    Cânceres exclusivamente hereditários são raros. Apesar de a genética ajudar bastante no desencadear de um quadro. Os cânceres de mama e de intestino por exemplo possuem forte carga familiar. Entretanto são mais os hábitos de vida da pessoa e as situações às quais ela se expõe que acabam agindo como fatores de risco.

    Como o câncer é tratado?

    Existem algumas medidas que podem ser tomadas para o tratamento do câncer. Não são em todos os casos que estas são efetivas e muitas delas costumam ser bastante fortes e provocam uma série de efeitos colaterais. Geralmente é preciso se combinar mais de uma modalidade de tratamento para ter um resultado positivo. Quando o câncer já está muito espalhado fica difícil combater a doença.

    A radioterapia é um dos procedimentos utilizados. Neste caso para destruir um tumor ou para impedir o aumento do mesmo faz-se uso de radiação. O paciente não sente nada no momento da aplicação. Junto à radioterapia normalmente é indicado a quimioterapia. Neste procedimento o paciente recebe uma variedade de medicamentos que possuem o intuito de destruir as células cancerígenas. Eles podem ser aplicados na veia de forma subcutânea intramuscular tópica e até mesmo oral.

    Quando o problema envolve as células do sangue também é possível se considerar a realização de um transplante de medula óssea. Desta forma células normais passarão a ser produzidas novamente. Os efeitos colaterais de uma radioterapia e da quimioterapia são terríveis. Pode ocorrer queda de cabelo diarreia lesões diversas náuseas vômitos alterações neurológicas alterações sexuais e alterações na pele e na unha. A descoberta recente do potencial da proteína do HIV no combate ao câncer é algo de extrema importância já que esta proteína pode acabar tornando estes tratamentos mencionados acima muito mais eficientes.

    O que é HIV?

    É uma sigla em inglês para denominar o vírus da imunodeficiência humana. Este vírus o HIV pode provocar a AIDS entretanto ser portador do vírus não significa necessariamente ter AIDS. Esta é uma terrível doença que já matou um número inimaginável de pessoas. O vírus ataca o sistema imunológico do indivíduo. Este é simplesmente o sistema responsável por proteger o corpo de qualquer invasão externa e de qualquer doença.

    A pessoa fica extremamente debilitada e qualquer complicação adquire contornos graves. As células que mais costumam ser atingidas pelo HIV são os linfócitos T CD4 +. O HIV age alterando o DNA das células e fazendo cópias de si mesmo. Após estarem instalados no organismo o período de incubação tende a ser longo. Infectam células do sistema nervoso e do sangue e diminuem a eficiência do sistema imune.

    aids e hiv

    O que é AIDS?

    É a síndrome da imunodeficiência adquirida. Causada pelo vírus HIV a doença pode levar até mesmo mais de 10 anos para começar a se manifestar. Por esta razão a pessoa pode ser portadora do vírus da AIDS e mesmo assim não ter AIDS. O contágio se dá através do sangue do esperma do leite e da secreção vaginal de pessoas contaminadas por exemplo. Até mesmo objetos contaminados por estas substâncias podem acabar transmitindo o vírus para o sangue de alguém saudável.

    Portanto a AIDS pode ser transmitida através de relações sexuais sem camisinha transfusões de sangue e compartilhamento de seringa por exemplo. Durante a AIDS ocorre uma destruição dos glóbulos brancos responsáveis por proteger o organismo de complicações. Com isto o indivíduo fica cada vez mais debilitado e vulnerável a doenças diversas.

    De que forma a proteína do HIV poderia ajudar no tratamento do câncer?

    Recentemente houve a descoberta de que uma proteína derivada do vírus HIV a “Vif” é capaz de agir sobre uma outra proteína chamada de A3G tornando a quimioterapia e a radioterapia algo muito mais eficaz.

    Durante estes procedimentos as células cancerígenas têm suas cadeias de DNA quebradas. Com isto espera-se barra a multiplicação das mesmas e também provocar a morte. Algumas entretanto conseguem sobreviver mesmo após este dano no DNA. O que torna a radioterapia e a quimioterapia procedimentos não tão eficazes. O que se descobriu é que uma proteína celular a A3G ajuda na ação reparadora do DNA e que um peptídeo da proteína “Vif” do HIV atua sobre a A3G neutralizando suas funções. Desta forma com a presença da “Vif” o efeito reparador seria interrompido nas células cancerígenas e os tratamentos seriam muito mais poderosos.

    Deixe uma resposta