Psicopatia e histeriaEpoch Times em Lusíada

Lá saúde mental dentre uma comunidade pode ser aferida pela dos gente que ela eleva aos mais altos postos e incumbe do que representá-la. O mais breve examinação do Sapão sob essa paisagem leva na direção de conclusões que já ultrapassam essa graduação do ameaçador e se revelam francamente aterrorizantes.

Já tivemos um presidente que achava lindo fazer sexo com cabritas, se gabava do que possuir proposto estuprar um companheiro a cubículo – prova com macheza, segundo ele – e confessava entre risos as mais cínicas mentiras do que campanha. É simples que essa tropa dos seus guarda-reverso e marqueteiros corria, nessas ocasiões, para dar em direção a essas declarações o sentido com meras brincadeiras, mas, supondo que o fossem, é também evidente que gente adultas normais não se divertem com gracejos tão torpes.

Qualquer que fosse o caso, nada obstante, em direção a conduta desse cidadão não sugeria nenhuma doença mental e sim propriamente uma psicopatia – no sentido de deformidade moral profunda que sufoca para voz da consciência e autoriza o quidam na direção de existir desde manipulações, trapaças e crimes sem nunca enxergar nessa situação zero dentre irregular.

Já mencionei, em outras pessoas artigos, o livro do psiquiatra Andrew Lobaczewski, Ponerologia: Psicopatas sobre Eficiência (Vide Editoral, 2014), nos quais uma equipe com médicos poloneses condensa os resultados do que décadas com reparo da escol socialista que dominava o país, e descreve tecnicamente o fenômeno da “patocracia”, o governo dos psicopatas.

Mas, porquê explica o próprio dr. Lobaczewski, quando uma escol desde psicopatas sobe ao controlar, ela se tapume do que adeptos e militantes que não são psicopatas, mas que, em o labor com enxergar as coisas uma vez que seus chefes mandam em vez dentre concordar os dados da veras, acabam desenvolvendo toda gente os sintomas da histerismo. Em direção a histerismo é um idiossincrasia fingido e imitativo, em que o doente negação o que percebe e sabe, criando com palavras um mundo imaginário cuja credibilidade depende inteiramente da bis desde atitudes emocionais exageradas e teatrais.

Um exemplo, já velho, esclarecerá isso melhor.

Todo mundo conhece o deprimente incidente da discussão feia nas quais no sentido de deputada Maria do Rosário xingou lhe colega Jair Bolsonaro do que “estuprador”. Incrédulo, o deputado perguntou:

– Agora sou eu o estuprador?

No sentido de deputada, fria e pausadamente, confirmou:

– É sim.

O deputado, que não é lá diverso famoso pelas boas maneiras, deu-lhe uma resposta brutalmente sarcástica (“não vou estuprar você porque você não merece”) e em direção a adversária ameaçou dar-lhe uns tapas, deixando a satisfazer o ideia na presença de na direção de promessa a um revide, sendo portanto chamada dentre “vagabunda” e tendo um dos mais célebres chiliques da história política vernáculo.

Está tudo retido. Veja inferior o vídeo:

As circunstâncias que precederam o facto são excessivo reveladoras. Bolsonaro tinha apresentado um projeto a lei que previa penas mais severas para os estupradores, até antecipando o prazo com maioridade penal porque no sentido de punição pudesse inferir tipos porquê Roberto Achado Alves Cardoso, o Champinha, um dos estupradores e assassinos mais cruéis que leste país já conheceu.

Maria do Rosário idade vs em direção a antecipação da maioridade e defendia penas mais brandas para estupradores e assassinos desde menos desde dezoito anos.

O projeto do deputado Bolsonaro tempo confirmado através de mais com noventa sobre cento da população. Baixe no sentido de pesquisa cá!

Defensora desde uma desculpa detestado, e cunhada, ela própria, dentre um estuprador do que menores, Maria do Rosário tinha a humanidade os motivos para permanecer com os nervos à flor da pele quando se discutia curra e menoridade. Invocar dentre estuprador o verdugo maior dos estupradores não fazia o menor sentido, evidentemente, à excepção de uma vez que inversão histérica da situação real.

Do sinal do que vista penal, admitindo-se que os dois os parlamentares tenham cometido delitos, o da deputada foi muito mais grave. Nosso Código Penal pune com seis meses no sentido de dois anos a detenção o transgressão do que calúnia (denúncia falsa desde ato criminoso) e com somente um no sentido de seis meses a detenção o do que injúria (ofender no sentido de distinção e o decoro dentre alguém). Pior: com destino a lei concede simplificador ao delito do que injúria se é cometido em revide com destino a insulto anterior, e um segundo e maior moderador se o revide foi súbito. Os dois atenuantes aplicavam-se à conduta do deputado Bolsonaro. Em confrontação com Maria do Rosário, ele estava praticamente simples em cima de incidente.

Muito, esses são os dados objetivos da situação, mas com destino a reação da esquerda pátrio quase inteira, seguida dentre perto através de toda no sentido de grande mídia, foi hastear um escarcéu dos diabos em discordância o deputado, chegando em direção a pedir no sentido de revogação do teu procuração e apresentando Maria do Rosário porquê servo puro do que uma violência nuncupativo intolerável.

Em nome de mais intenso que seja o ódio político que se vota no sentido de um inimigo, simplesmente não é normal inverter desde maneira tão flagrante na direção de lógica dos fatos e o sô sentido jurídico para fazer do acometido o invasor e do revide injurioso, sobre mais grosseiro que fosse, um delito mais grave que o com calúnia.

Pior: todo mundo os que incorreram nessa loucura faziam-em o em tom a tão profunda indignação – número reduzido de chegando até às lágrimas –, que não pareciam, desde maneira alguma, estar mentindo deliberadamente. De outro modo: essa coisa período uma inversão histérica genuína, particularidade, indissimulável. E coletiva.

Para passagem do tempo não parece tê-la curado, mas agravado. Ainda isto semana, uma vez que o deputado Bolsonaro relembrasse o incidente, mostrando não arrepender-se do que tinha dito para Maria do Rosário, para deputada Jandira Feghali viu nessa situação, não, porquê seria normal, uma prova desde falta do que instrução, mas – pasmem – uma confissão desde defloração. E, aos berros, exigia em direção a estorno do procuração com Bolsonaro, alegando que “não podemos comportar com destino a presença a um estuprador nesta Mansão”. Não deixa desde ser significativo que, nessa mesma semana, uma pesquisa da Universidade da Califórnia revelasse que essa insuficiência a perceber o sarcasmo pode ser um sintoma desde demência (chirinola. http://web.mdig.com.br/?itemid=18953).

Porém ainda mais significativo é que, também na mesma semana, para deputada, lendo uma frase minha segundo em direção a qual o mundo inteiro deveríamos “atirar à face dos comunistas, em público, todo o incorretamente que fizeram”, lançou o sinal: Olavo do que Roble prega assassínio do que comunistas!

O histérico não jaça o que está diante dos seus olhos, mas o que é projetado na tela da sua imaginação pelo temor e pelo ódio.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here