Queda anormal do cabelo afeta a auto-estima

Perder cabelo afeta em grande medida a auto-imagem, a vida pessoal, social e profissional das pessoas afetadas, que vivem, especialmente no caso das mulheres, com o estigma da imagem – hoje, em muitos casos, de importância extrema na vida profissional. Já no caso dos homens, existe a (errada) crença popular de que é inevitável ter “entradas” ou ser calvo.

A alopecia pode ter várias causas, mas pode também ser controlada e tratada, dependendo da origem do problema. Sendo que o normal é que caiam diariamente entre 100 e 120 cabelos, apenas com um estudo do caso específico de cada um se pode perceber quais as causas e qual o tratamento a aplicar, pelo que qualquer pessoa que note uma queda de cabelo excessiva deve procurar ajuda médica. Isto porque quanto mais cedo se atua, melhores e mais rápidos são os resultados.

Os “sintomas” passam pela alteração da qualidade, cor, espessura, densidade e brilho da haste capilar, além da queda do cabelo, que pode ser em mechas, progressiva, com o aparecimento de tecido cicatricial, ou em determinadas zonas do cabelo (sendo esta última a mais comum nos homens).

A queda de cabelo é um problema complexo e que pode ter origem em múltiplos fatores, internos ou externos, como a gravidez e o pós-parto; alterações hormonais; contracetivos orais; menopausa; febres altas; hemorragia; cirurgias; insuficiência hepática ou renal grave; hiper e hipotiroidismo; doença aguda ou crónica; sífilis; dietas inadequadas; jejum prolongado; anemia; deficiência de ferro; mudanças súbitas de peso; noites sem dormir; alguns medicamentos; exposição a certos químicos; uso impróprio de produtos cosméticos, entre outros. Além destas causas físicas, o stresse emocional, como doença psiquiátrica, morte de um familiar, situações de desemprego, problemas familiares, etc., pode também desencadear queda de cabelo.

Para fazer uma correta avaliação do paciente, tem de ser ter em conta o historial clínico, fazer análises e perceber a evolução da queda de cabelo. O tratamento pode passar pelo uso de champôs específicos, toma de suplementos alimentares, aplicação de medicação tópica no couro cabeludo e medicação oral. Também se usa a transplantação. Com a experiência que fui adquirindo com os meus pacientes, desenvolvi também tratamentos de biorevitalização capilar que se têm mostrado muito eficazes na eliminação da queda do cabelo, na estimulação do nascimento de novos fios de cabelo e no rejuvenescimento e fortalecimento do restante cabelo.

Os cuidados diários são também muito importantes, seja para quem já tem um problema capilar, seja para quem quer um cabelo saudável. Devem ser sempre usados champôs adequados ao tipo de cabelo, idade e estilo de vida; os cabelos devem ser penteados de uma forma suave, com respeito, duas vezes ao dia, com uma escova ou pente de dentes largos. As pontas devem ser tratadas três vezes por semana com um produto hidratante e vitaminado, adequado à idade. Além disso, o cabelo nunca deve ser seco a temperaturas altas e o uso de penteados com tração devem ser evitados.

Alexandra Osório

Médica especialista em Dermatologia

Mestre em Dermatologia Estética

Deixe uma resposta