Queda de cabelo feminina está a aumentar

Na lista dos receios mais comuns de ambos os sexos, perder o cabelo ocupa uma posição de destaque. Drama reconhecido nos homens, atinge a escala de verdadeira tragédia quando afeta as mulheres. Loiras, morenas, ruivas, não interessa. O ideal é exibir um cabelo luxuriante, brilhante, saudável e, de preferência, abundante. Quando os fios de cabelo insistem em se deixar levar pela escova ou, pior ainda, ficam nas nossas mãos quando as levamos à cabeça para compor aquele penteado novo de que tanto gostamos, pensamos logo no pior.

É o suficiente para deixar a mais corajosa das mulheres com suores frios e à beira de um ataque de nervos. Sim, falamos da queda de cabelo, esse fantasma que insiste em assombrar a vida de muitas pessoas. Que o cabelo cai já nós sabemos, mas o que pode ser considerado realmente normal? Analisámos a raiz do problema para lhe trazer as melhores soluções. Em primeiro lugar, quais são os parâmetros de uma queda de cabelo normal?

Cada fio de cabelo apresenta três fases de evolução na sua vida. Crescimento, repouso e queda. Na nossa cabeça inúmeros fios encontram-se num destes estádios, pelo que é considerado normal perder entre 50 a 100 cabelos por dia. Se este número for superior e, se a queda permanecer por um período de tempo alargado, é essencial identificar qual poderá ser a causa do problema e passar ao ataque.

Os suspeitos do costume

Os principais causadores da queda de cabelo são o stresse e a hereditariedade. Mas são seguidos de perto por outros culpados como uma alimentação desequilibrada, pobre em frutas e vegetais e com poucas proteínas, a toma de certos fármacos, alterações hormonais e algumas doenças (como lúpus). Existem ainda outros factores a ter em conta como é o caso das cirurgias, períodos peri e pós-menopáusicos e a fase pós-parto.

As duas estações do ano mais problemáticas

Nas mulheres, é comum notar-se um aumento da queda de cabelo na primavera e no outono. Este facto está relacionado com os ciclos de crescimento capilar e tem tendência a regularizar-se ao fim de algumas semanas. Em casos mais persistentes, a toma de um suplemento vitamínico específico para o cabelo, durante pelo menos três meses, costuma ser o suficiente para resolver a questão.

Cabelo em queda livre

Se o cabelo teima em cair de forma exagerada, procure um dermatologista. Os tipos de queda variam, bem como os tratamentos. Na queda de cabelo difusa, a ingestão de suplementos alimentares específicos e a aplicação de produtos com aminexil (uma molécula que combate a queda capilar excessiva) ajuda a resolver a maioria dos casos.

A alopécia areata (quando o cabelo cai em peladas) já necessita de um tratamento específico, por exemplo com corticoides, que nas situações ligeiras tem uma elevada taxa de sucesso. A alopécia androgenética (queda de cabelo na parte central da cabeça) requer medicamentos de acção anti-androgénica de aplicação oral ou tópica que contribuem para a estabilização do ciclo de crescimento dos folículos pilosos.

Veja na página seguinte: O que defendem os dermatologistas norte-americanos

Ver artigo completo

Deixe uma resposta