Quer pintar o cabelo em casa? Saiba como fazê-lo

Se antes pintar o cabelo em casa era sinónimo de desastre, atualmente as tintas caseiras são fáceis, seguras e o resultado pode ser perfeito. Basta ter em conta alguns elementos e conseguirá um resultado profissional sem sair de casa e esperar infinitamente no cabeleireiro.

Primeiro tenha em conta o histórico do seu cabelo e o efeito que pretende alcançar. Existem diferentes tipos de tintas consoante o histórico de cada cabelo que dependem de fatores como: se o cabelo é virgem, se tem alisamentos, se está danificado, se apenas se quer livrar dos cabelos brancos ou se quer recuperar de uma coloração que não resultou. O resultado só irá ser natural e impecável se usar uma tinta apropriada. Um conselho: quando for comprar a tinta pergunte aos empregados da loja e leia os rótulos para ter a certeza que está a fazer a escolha certa para o seu cabelo e objetivo. Sim, ler os rótulos e as instruções de utilização é essencial para que o processo decorra sobre rodas e que evita que se arrependa para todo o sempre de ter pintado o cabelo em casa. Cada tipo de tinta e cada marca têm formas de aplicação diferentes.

Cobrir os brancos é o objetivo principal: então opte por uma tinta permanente em que o fio absorve e retém melhor a cor. A desvantagem? É necessário um retoque da raiz frequente, após 20 ou 30 dias e como contém amoníaco e outros químicos mais agressivos resseca o cabelo e convém fazer uma avaliação da compatibilidade dos fios antes de pintar. A segunda dica que temos para dar é: se quiser mudar a cor opte sempre por uma tonalidade mais clara. Se, por ventura não gostar do resultado é sempre mais fácil cobrir o cabelo com um tom mais escuro. Em qualquer um dos casos, deve refletir sobre os tratamentos a que já sujeitou o cabelo. Por exemplo, se o cabelo tem químicos (como outras tintas já aplicadas) é preferível investir em tintas tonalizantes, que não mudam a coloração do fio em toda a sua estrutura, apenas cobrem com pigmentos. A tinta tonalizante, por ser menos agressiva e não conter amoníaco, não é permanente mas é compatível com a maioria dos restantes químicos. E não se esqueça que, cabelos volumosos e mais compridos podem requerer mais do que uma embalagem.

Antes de aplicar o produto em todo o cabelo faça um teste de sensibilidade. Mesmo que já use essa tinta e marca há algum tempo, mais vale prevenir que remediar. Os componentes das tintas mudam e, isto pode provocar reações diferentes no seu cabelo. É preferível testar a coloração aplicando um pouco na parte de trás da orelha e esperar 48 horas para ver se surge algum tipo de efeito secundário: como caspa, irritação, comichão ou vermelhidão.

A aplicação da tinta determina em muito o resultado final: não basta despejar a tinta pelo couro cabeludo e espalhar, com a ajuda das mãos pelo resto do cabelo. Deve, pelo contrário, dividir o cabelo em quatro partes, que devem ser preenchidas na totalidade para que a cor fique uniforme. Faça um risco ao meio, na nuca e outro de orelha a orelha e fica com as quarto secções pretendidas. Aplique o produto como diz na embalagem sendo que, geralmente, a aplicação com um pincel facilita a cobertura e penetração da tinta nos fios. Certifique-se que não se esquece de zona nenhuma: comece por aplicar na zona da nuca, depois nas laterais, na raiz e por fim reforce todo o cabelo com a tinta restante. Deve respeitar o tempo de atuação que vem na embalagem, deixar atuar mais tempo não faz com que a cor fique mais intensa.

Após a aplicação deve usar produtos próprios para cor, que normalmente vêm com o produto em pequenas amostras. Estes champôs ajudam na fixação da cor enquanto faz a primeira lavagem e retira o excesso de cor. O ideal é investir na linha completa de champô, condicionador e máscara uma vez que, ao serem da mesma gama e marca, os produtos foram desenvolvidos para atuar em conjunto e não fazerem reações adversas quando misturados.

Em suma, antes de pintar o cabelo certifique-se que compra a tinta certa e que segue as instruções para a sua aplicação e, não faz misturas por invenção própria. Está a lidar com químicos e não sabe o que pode acontecer quando misturados.

Ver artigo por páginasartigo do parceiro:

Deixe uma resposta