Recondicionamento térmico japonês DKA | SAPO Lifestyle

0
48

O recondicionamento térmico japonês DKA é um sistema de alisamento, da marca Dikson, que recorre à queratina orgânica
e bioativa, uma substância 100% livre de formaldeído (a ausência de formol é uma das mais-valias do tratamento), juntamente com a proteção da queratina
natural do cabelo e a preservação da energia da fibra capilar. Antes
da aplicação, é realizada uma análise da porosidade, elasticidade e
textura do cabelo, bem como do estado do couro cabeludo.

«É obrigatório
um teste de madeixa com aplicação do ativo, para se avaliar a resistência
real dos fios, a incompatibilidade com produtos usados anteriormente,
a força e o tempo de processamento do produto ativo. Se o cabelo
não passar no teste, recomenda-se cargas de queratina DKA duas vezes
por semana e um novo teste após 30 dias», diz Manfredo Paz, diretor da
MCPaz, representante de várias marcas de cabeleireiro e estética.

Modo de aplicação

Começa-se com uma lavagem com champô sem sal e com a aplicação de queratina em todos os fios de cabelo, madeixa a madeixa,
durante 15 minutos, seguida de enxaguamento com toalha e secador. Segue-se a aplicação do Creme Ativo Misuke (a intensidade e tempo são determinados
pelo teste prévio realizado)e faz-se o teste do nó, ou seja, retira-se o excesso de produto de uma mecha e dá-se
um nó. Se o nó ficar bem fechado, significa que o resultado foi obtido.

O passo seguinte é o enxaguamento e remoção de 80% da humidade com secador e a aplicação de óleo argabeta em toda a extensão do cabelo seguida de
passagem de prancha de cerâmica profissional por todo o cabelo. Aplica-se ainda Neutralizante Misuke (fica a atuar durante 20 minutos) e, após o enxaguamento,
segue-se nova lavagem com champô sem sal. Numa fase final, faz-se a aplicação de queratina durante 15 minutos seguida de enxaguamento. No final, o cabelo é esticado com secador e escova e, depois, com
prancha.

Resultados e manutenção

Este processo demora cinco horas a ser aplicado e tem um custo de cerca de 250 €. Segundo Manfredo Paz, «o cabelo
submetido a este tratamento não volta a encaracolar, sendo este um
tratamento definitivo». No entanto, como o cabelo que vai nascendo e
crescendo mantém a sua estrutura inalterada, são necessárias manutenções.

«Para um cabelo europeu, recomenda-se um tratamento
anual. Para cabelo africano, recomenda-se um semestral», aconselha ainda este especialista.
Estão também disponíveis produtos pós-tratamento DKA para usar em
casa (champô e condicionador). O recondicionamento térmico japonês DKA não é aconselhado a cabelos sensibilizados e que não obtenham
aprovação no teste de madeixa realizado inicialmente.

Texto: Rita Miguel

Compartilhar
Artigo anteriorRealçar sobrancelhas e pestanas | SAPO Lifestyle
Próximo artigoRecuperar a mama no período pós-cancro

Deixe uma resposta