Síndrome de Guillain-Barré

    0
    46

    O que é?

    A Síndrome de Guillain-Barré é uma doença muito preocupante pois é autoimune ou seja o corpo ataca por engano parte do próprio sistema nervoso inflamando os nervos causando enfraquecimento muscular. A doença também é conhecida como polirradiculoneuropatia idiopática aguda polirradiculopatia aguda imunomediada ou polirradiculoneurite aguda.

    As causas da Síndrome de Guillain-Barré

    As causas da síndrome estão associadas ao Zika Vírus a doença que é transmitida pelo mosquito da dengue o Aedes Aegypti ou seja foi confirmado pelo Ministério da Saúde que a infecção causada pelo Zica Vírus também pode causar a Síndrome de Guillain-Barré. A síndrome ocorre quando os anticorpos do organismo começam a atacar os próprios nervos danificando-os gravemente. A doença ataca o revestimento do nervo a bainha de mielina causando uma lesão chamada desmielinização fazendo com que os sinais nervosos se manifestem com mais lentidão mas os danos ao nervo podem deixá-lo completamente apático ou seja sem funcionar. Um indivíduo acometido pela síndrome de Guillain-Barré pode apresentar fraqueza muscular e até paralisia.

    Existem outros fatores que podem contribuir para o aparecimento da doença como:

    • A infecção causada pelo Campylobacter uma bactéria encontrada em aves mal cozidas;
    • Em cirurgias;
    • Pneumonia;
    • O Vírus Influenza;
    • O Vírus de Epstein-Barr;
    • HIV;
    • Linfoma de Hodgkin;
    • Raramente por vacinas da gripe ou vacinação infantil.

    síndrome de Guillain-Barré

    Sintomas da Síndrome

    Os sintomas mais comuns da Síndrome de Guillain-Barré são:

    • Em casos mais brandos pode ocorrer fraqueza muscular ao invés de paralisia;
    • Alteração da sensibilidade;
    • Sensibilidade ou dor muscular;
    • Dormência;
    • Perda de reflexo nos braços e nas pernas;
    • Movimentos descoordenados;
    • Fraqueza que pode iniciar nos braços e nas pernas ao mesmo tempo ou começar nos braços e descer para as pernas ou iniciar nos membros inferiores indo para os superiores podendo piorar com o passar das horas;
    • Pode ocorrer somente nos nervos da cabeça;
    • Hipotensão ou baixo controle da pressão arterial;
    • Dificuldade para mover os músculos do rosto;
    • Contrações musculares;
    • Palpitações;
    • Visão turva.

    Os sintomas podem aparecer e piorar rapidamente. Os mais graves podem aparecer em apenas algumas horas. A fraqueza muscular ou a paralisia aparecem dos dois lados do corpo e o indivíduo pode sentir formigamento dor nas mãos e nos pés e descoordenação. Se a doença afetar os nervos do peito e diafragma havendo fraqueza nestes músculos assistência respiratória será necessária ao indivíduo acometido pela síndrome.

    Diagnóstico da Síndrome

    Se você sentir algum destes sintomas que acabamos de citar procure seu médico imediatamente. Por seus sintomas serem parecidos com outras doenças neurológicas a Síndrome de Guillain-Barré é difícil de ser diagnosticada. Durante a consulta o médico provavelmente irá questionar o paciente sobre o histórico clínico. Se ocorreu uma doença recente e o paciente apresentou fraqueza muscular crescente e paralisia o médico pode considerar a Síndrome de Guillain-Barré. Através de exames o médico pode identificar a fraqueza muscular problemas na pressão arterial e frequência cardíaca verificando também os reflexos do paciente.

    Tratando a Síndrome de Guillain-Barré

    A Síndrome de Guillain-Barré não tem cura mas existem tratamentos que podem ajudar nos sintomas da doença tratando as possíveis complicações. Tratamentos que reduzem ou inibem a ação dos anticorpos contra o próprio organismo são administrados ajudando a diminuir a gravidade da situação do paciente. O método que remove os anticorpos do sangue é chamado de plasmaferese que consistem em retirar o sague do corpo através do braço e devolver depois que os anticorpos foram removidos. Os anticorpos também podem ser bloqueados através de altas doses de imunoglobulina que são adicionadas ao sangue diminuindo a infecção.

    Existem outros tratamentos que ajudam a evitar complicações conforme seguem:

    • Anticoagulantes para prevenir coágulos sanguíneos;
    • Uso de auxílio respiratório ou um tubo e ventilador respiratório no caso se o diafragma estiver debilitado;
    • Para a dor se necessário o uso de remédios anti-inflamatórios e narcóticos;
    • Se os músculos da deglutição estiverem debilitados o melhor posicionamento do corpo ou um tubo de alimentação podem ser empregados para evitar engasgos durante a alimentação.

    Deixe uma resposta