Solte a Língua | SAPO Lifestyle

0
43

Os cinco sentidos foram feitos para serem explorados ao máximo. Esta é uma regra especialmente válida na cama: tão importantes como o toque, o gosto e o cheiro é o que ouvimos e o que expressamos…

Na verdade, expressar o que sente e o que se quer durante o acto sexual não só a ajuda a libertar de forma saudável o que está a sentir, como funciona como estímulo sexual adicional.
Assim sendo, quando se trata de falar na cama, incluem-se naturalmente as asneiras e palavrões que as normas sociais nos impedem de expressar no quotidiano.

Mas, como em qualquer assunto que envolva um homem, uma mulher e uma cama, falar pode causar constrangimentos: é fácil de entender porque razão muitos homens e mulheres podem ter receio de dizer tudo o que lhes vem à cabeça na cama.

De facto, o que é dito durante a relação sexual pode causar conflitos entre o casal, já que depende do gosto pessoal. O que excita um pode ofender o outro. Além do mais, a linguagem masculina e feminina costuma ser bastante diferente. Geralmente, as mulheres gostam mais de dizer e ouvir frases carinhosas e românticas, enquanto os homens dizem coisas picantes.

Por outro lado ainda há alguma reservas sociais ao facto de se ouvir palavrões da boca da mulher durante o acto sexual, herança das normas rígidas dos séculos passados que condenavam as mulheres que demonstravam ter prazer durante o acto sexual. Adicionalmente, devido a uma educação repressiva, as mulheres podem ter tendência a sentir-se objectos quando os homens abusam da linguagem durante o acto sexual.

Todavia a mulher não deve ficar ofendida, pois o parceiro só está a “dar asas” às suas fantasias. Todavia, se o seu parceiro lhe diz algo de que não gosta, deve falar abertamente com ele sobre o assunto. Não tem nenhuma obrigação de corresponder às fantasias dele.

Mas o verdadeiro problema é o silêncio durante o acto sexual. Os principais culpados são os tabus, o comodismo, a vergonha ou o receio do que o outro vai pensar.

Na realidade, libertar a linguagem faz parte do processo de envolvimento sexual, funcionando não só como estímulo adicional como, e mais importante, o principal instrumento de comunicação entre os parceiros, ajudando-os a expressar os seus gostos e fantasias e a estreitar uma intimidade necessária para uma relacção sexual plena e realizada.

(Continua)

Aprenda algumas técnicas para soltar a língua na cama

Aprenda algumas técnicas para soltar a língua na cama:

1. Leia livros eróticos em voz alta para adquirir intimidade com a linguagem sexual

2. Fale em frente ao espelho

3. Comece a colocar o “EU” no início das frases para aprender a expressar com clareza o que se quer de maneira geral 4. Uma boa técnica para ultrapassar a inibição é deixar o quarto às escuras, ou vendar os olhos.

5. Elogie o seu parceiro primeiro fora e depois dentro da cama; elogie-lhe a maciez da pele, ou os beijos, ou qualquer coisa que lhe agradar

6. Comece por segredar ao ouvido do seu parceiro; à medida que for ultrapassando as suas inibições aprenderá a olhá-lo nos olhos e a pedir-lhe respostas.

Compartilhar
Artigo anteriorSofrimento psicológico na família: o papel da expressão emocional
Próximo artigoSoluções anti-frizz | SAPO Lifestyle

Deixe uma resposta