Tem a pele seca? | SAPO Lifestyle

Se tem uma pele muito seca, deve hidratar a pele de todo o corpo diariamente e repetir esse gesto, caso seja necessário, várias vezes ao dia, com hidratantes que estabeleçam uma barreira entre a pele e a humidade.

Para um bom funcionamento do mecanismo de hidratação da pele, o estrato córneo deve ser capaz de reter água e as substâncias emolientes são uma preciosa ajuda para esse processo.

Além dos cremes, loções e produtos hidratantes que encontra à venda em farmácias, perfumarias e supermercados, pode também experimentar fazer um tratamento com óleos corporais. «São uma boa solução quando a pele está a precisar de cuidados extra», afirma o dermatologista Fernando Guerra.

Este tipo de produtos devem ser usados depois do banho e não necessitam de ser enxaguados, secam naturalmente e, apesar de não entrarem nas camadas inferiores da pele, melhoram o aspecto da epiderme e eliminam as escamas provocadas pela secura extrema. Pode também usá-los nas mãos antes de se deitar. Massaje-as com óleo de amêndoas, calce luvas de algodão e deixe repousar durante 15 minutos.

Rosto e lábios

Rosto e lábios

Antes de hidratar o rosto, é obrigatório eliminar todas as impurezas com água fria ou morna. «Quanto mais quente for a água, mais seca ficará a pele e, no caso da pele oleosa, a produção de sebo vai aumentar em resposta à água quente, ou seja, o sebo vai tentar equilibrar a agressão externa e o bem-estar da pele, tornando-a mais oleosa», elucida Fernando Guerra.

Escolha um leite ou um gel de limpeza não detersivos, que arrastem a sujidade sem agredir a pele e que não alterem o equilíbrio fisiológico cutâneo. «Os que contêm aveia coloidal são um bom exemplo disso», acrescenta o dermatologista.

De seguida, aplique o creme hidratante, massajando o rosto suavemente. Escolha produtos adequados ao seu tipo de pele e que sejam ricos em ceramidas, ácido glicólico, vitamina E e lactato de amónio. Este último, como explica Fernando Guerra, «promove uma reorganização da camada córnea, devolvendo à pele a capacidade de reter água».

Os lábios são uma das zonas do rosto particularmente sensíveis às baixas temperaturas. Para evitar que fiquem secos e consequentemente gretados, nunca saia de casa sem os proteger e leve sempre consigo um bâton ou um creme labial nutritivo e hidratante, que deve idealmente também conter índice de protecção.

Não cometa o erro de os molhar constantemente com saliva, pois esse gesto contribui apenas para que fiquem mais desidratados. «Tal como acontece com o sol, o frio pode desencadear o herpes labial e, neste caso, a hidratação dos lábios é ainda mais importante para evitar que as lesões apareçam», realça Fernando Guerra.

Veja na página seguinte: A melhor maneira de hidratar o corpo

Corpo

Corpo

As restantes zonas do corpo podem não estar directamente expostas às agressões climáticas.

Contudo, nos dias de maior frio, verifica-se também aí uma diminuição da produção de glândulas sebáceas e consequente enfraquecimento do véu protector da pele (constituído por água e sebo) e que, em regra, assegura a hidratação natural.

As mudanças bruscas de temperatura e a constante fricção das peças de roupa agravam ainda mais a situação, a pele torna-se seca e podem surgir descamações. Se a quer manter de boa saúde, siga os conselhos de Fernando Guerra:

«Não tome banho com água muito quente e opte por um creme lavante em vez dos sabonetes». No final do duche, use um creme hidratante e nutritivo, com ureia e lactato de amónio, espalhe-o massajando-o por todo o corpo, dando especial atenção às áreas mais secas (cotovelos e joelhos).

Texto: Rita Caetano com Fernando Guerra (dermatologista)

artigo do parceiro:

Deixe uma resposta