Tomar amoxicilina e paracetamol amamentando| Pode?

    0
    108

    Medicamentos e amamentação

    Atualmente é muito comum o uso de medicamentos para tratar condições diversas. Geralmente quando estamos com dor de cabeça ou com enjoo por exemplo vamos à farmácia tomamos algo e logo passa. No entanto quando se trata de mulheres que estejam grávidas ou em período de amamentação é preciso bastante cuidado.

    No caso de mulheres em período de amamentação o perigo está no fato de que grande parte das drogas passa também para o leite materno. As drogas chegam ao leite em quantidade bem pequena que inclusive varia de acordo com a porcentagem de gordura . Apesar disto elas podem afetar terrivelmente o bebê que ainda está em fase de desenvolvimento e não possui o sistema imunológico totalmente preparado para ligar com agressões.

    As drogas podem ou não ser absorvidas pelo trato gastrointestinal do bebê. De alguns medicamentos já se têm o conhecimento das reações e são ou totalmente proibidos ou liberados ou liberados com cautela. Entretanto novos medicamentos surgem a todo momento e não se sabe ainda os efeitos que podem causar. Antes de tomar qualquer medicamento a mulher em período de amamentação deve conversar com um profissional.

    A importância do leite materno

    O leite materno é muito importante para o bebê por isso não é indicado que a mãe deixe de dar o leite para tomar os seus medicamentos. Esta alternativa é somente adotada em últimos casos como quando a mãe possui alguma doença séria ou quando realmente não há outro tipo de fármaco para ser usado no lugar.

    É no leite materno que o bebê encontra os nutrientes e as substâncias imunoativas essenciais para o seu correto desenvolvimento e para a sua proteção. Além disto o ato de amamentar fortalece a relação entre mãe e remedios amamentandofilho sendo também uma influência positiva para a área cognitiva e psicomotora do bebê.

    Quais medicamentos pode tomar?

    Diante de qualquer incômodo ou dor a mulher grávida ou a mulher em período de amamentação deve ligar para o ginecologista ou pediatra e perguntar se pode ou não tomar o medicamento que está querendo. O médico sabe quais fármacos notadamente produzem efeitos adversos e caso ele não tenha conhecimento do efeito de algum deles provavelmente orientará no sentido de não tomar.

    Caso a mulher esteja com muita dor ou necessite realmente tomar um medicamento é possível escolher por fórmulas que tenham em sua composição drogas não agressivas ao bebê. Interromper a amamentação para usar medicamentos diversos não é indicado e deve ser uma alternativa escolhida somente em últimos casos.

    Algumas das drogas mais conhecidas que estão liberadas são por exemplo: aciclovir cafeína cefalexina cefazolin dipirona fexofenadina ibuprofeno levotiroxina lidocaína loratadina piroxicam zolpiden entre outras. Apesar de serem usualmente compatíveis é importante conversar com um médico antes da administração das mesmas.

    Quais medicamentos estão proibidos?

    Conforme mencionamos todos os medicamentos devem ser evitados durante o período de amamentação e durante a gravidez. No entanto muitas vezes é necessário apelar para alguma medicação de forma a parar uma dor ou incômodo. Conversar com um médico antes de tomar a decisão pelo uso de um fármaco é fundamental.

    Algumas das drogas que estão totalmente proibidas durante a amamentação são por exemplo: doxoribicina. ciclofosfamida metotrexate fenciclidina e anfetamina. Outras drogas podem ser usadas quando necessário porém com cautela. A clorpropamida por exemplo pode ocasionar uma redução nos níveis glicêmicos do bebê por isso a mãe deve ficar atenta. O uso de oxcarbazepina também deve ser feito com cautela visto que pode deixar o bebê com tremores e com dificuldades para se locomover. Outro exemplo é a fluoxetina que pode fazer o bebê perder peso e ficar com dificuldade para dormir além de um pouco irritadiço.

    No site do Ministério da Saúde é possível encontrar uma grande lista com medicamentos que podem ou não ser utilizados durante a gestação e a amamentação. É interessante dar uma olhada na lista mesmo após conversar com um médico pois ela pode trazer informações que ele ainda desconheça.

    Amoxicilina e paracetamol: pode?

    A amoxicilina é um antibacteriano recomendado especialmente em casos de amidalites de gonorreias de infecções de pele de infecções urinárias de infecções respiratórias e de sinusites. Já o paracetamol é um analgésico geralmente recomendado em casos de febre de dor de cabeça dor de dente musculares e outras assim como às associadas à cólicas menstruais.

    Ambos os medicamentos podem ser utilizados tanto por mulheres grávidas como por mulheres em fase de amamentação. Eles não costumam provocar reações adversas no bebê exceto em casos de alergia à droga. Conforme mencionamos anteriormente é fundamental no entanto conversar com um profissional antes de tomar amoxicilina ou paracetamol. Cada pessoa reage de uma maneira a certos fármacos e cada caso é especial portanto não hesite em conversar com um médico já que a saúde e o bem estar de seu filho é que está em jogo.

    Deixe uma resposta