Tratado em cima de o Negócio do que Armas dos EUA é um fiasco, como perito

0
24

O novo Tratado acerca de o Negócio do que Armas das Nações Unidas não afeta ninguém significativamente, escreve Caleb Rossiter (Justin Sullivan/Getty Images)

Temendo perturbações nas exportações dentre armas, na direção de Associação Vernáculo do Rifle (NRA) dos Estados Unidos opôs-se veementemente ao novo Tratado com relação a o Negócio dentre Armas, que foi confirmado em 2 desde juventude pela Reunião Universal das Nações Unidas.

Ao preço de NRA incessantemente combate legislações relacionadas com destino a armas desde queimação, porque teme o “terreno escorregadio” que pode resultar em o confiscação. Mas sô motivo dentre preocupação então – na direção de apelo não-vinculativo do tratado para o registro pátrio, que desde indumento é muito menos detalhado do que o que já é exigido pelas atuais leis setentrião-americanas – é que o tratado é tão sem razão que chega na direção de ser risível.

Caso folgança, porém, não é somente a respeito de para NRA. Embora o tratado não faça zero para afetar os proprietários com armas setentrião-americanos, ele é tão fraco que não parece afetar ninguém.

O Tratado acima de o Transacção do que Armas não colocará uma exclusivamente novidade restrição sequer nos principais exportadores dentre armas para países em desenvolvimento, mormente para os governos não eleitos que compram com destino a maior secção das armas e causam no sentido de maior secção das guerras. Ano posteriormente ano, os Estados Unidos vencem com destino a dúbia evidência, seja sob oriente presidente ou os cinco anteriores, desde ser o número um em armar países em desenvolvimento e ditadores. Ele usa essas vendas e presentes desde armas para manter com destino a rede com regimes “amigos” que em troca fornecem bases, lucidez e aproximação mercantil, tudo em procura do que o que Pentágono labareda dentre “primazia” global dos EUA.

O tratado contém exclusivamente quatro restrições, duas cujo simplesmente afirmam as chico existentes da ONU: embargos desde armas com destino a países específicos e o cerimonial com “armas ilícitas” que requer no sentido de aprovação governamental para todas as exportações do que armas. Essa terceira restrição proíbe um governo a transferir armas se ele desfrutar “conhecimento em cima de momento” do que que as armas serão usadas para cometer genocídio, crimes desde guerra ou “violações graves” dos direitos humanos. É quase irreal imaginar um governo exportador ser incapaz dentre negar trazer tal conhecimento.

Em quarta restrição é indefinível – e assim inaplicável –, ela proíbe essa transferência a armas se houver “risco excessivo” do que que as armas “possam ser usadas para cometer ou facilitar uma grave violação” dos direitos humanos. E adivinhe qual deve sentenciar se há risco excessivo? O próprio país que vende as armas. E é simples que o tratado ignora transferências do que armas até agências secretas porquê com destino a CIA, que são as mais propensas em direção a serem desviadas para usos não intencionais.

Porquê ficamos portanto, com um tratado que realmente não faz zero, senão gerar relatórios? No sentido de culpa em levante tratado coxo recai tanto dentro de movimento cosmopolita desde direitos humanos uma vez que em governos interesseiros.

Ditadores-políticos

Grupos do que resguardo dos Estados Unidos começaram para desenvolver levante tratado há 20 anos, porque queriam reduzir com destino a devastação das guerras civis em países em desenvolvimento. Essas guerras civis, uma vez que as desde hoje dentro de Congo, Somália e Afeganistão, causam milhões a mortes em direção a qualquer dez. Lá maior parte das mortes não é do combate em si, mas da doença e da míngua que resultam quando refugiados fogem a suas casas e deixam seus bens do que sustento. Os grupos setentrião-americanos e uma convênio bipartidária do Congresso, liderada pelo falecido senador Mark Hatfield e pela ex-parlamentário Cynthia McKinney, elaboraram um “Código dentre Conduta” para os governos serem elegíveis às vendas do que armas dos EUA.

O Código dentre Conduta original incluía com destino a estorvo da venda dentre armas para ditadores. Para versão escrita até uma consórcio do que vencedores do Prêmio Nobel da Sossego, liderados pelo ex-presidente costarriquenho Oscar Arias, coloca isso mais elegantemente: Armas só poderiam ser vendidas com destino a um país que “permita que seus cidadãos escolham seus representantes até bens do que disputadas eleitorais periódicas, livres e justas que se caracterizem até votação secreta e permitam que os cidadãos expressem suas opiniões políticas com liberdade a frase”.

O Código vacilou dentro de final com 1990 posteriormente ambas as casas do Congresso rejeitarem-sobre em votações plenárias. Autor Absolvição Cosmopolita reviveu-o, trabalhando com o primeiro-ministro anglicano Tony Blair, numa versão da União Europeia (UE) que se concentrava não em porquê um governo havia tomado o conseguir, mas com relação a o que ele fazia com suas armas. O Código da UE substituiu com destino a estorvo do que armar ditadores com um alerta para os exportadores considerarem o “risco a que as armas possam ser usadas para no sentido de repressão externo”. Ao preço de definição do que repressão focava-se em atos violentos e excluía qualquer consideração em cima de tirania. Foi aí que o Código foi castrado, levando ao tratado da ONU.

Ao redor de que em direção a Perdão Mundial segue ao longo de essa caminho? O movimento dos direitos humanos teve senhor início na dez do que 1970 – e teve um grande impacto – rejeitando reivindicações a soberania vernáculo e criticando os governos, eleitos ou não, sobre torturarem e matarem dissidentes. Mas o movimento foi recluso numa insídia articulada entre ditadores-políticos, que simplesmente aprenderam formas menos violentas do que esmigalhar no sentido de dissidência. Grupos uma vez que em direção a Vênia Externo não classificam em direção a própria autoritarismo uma vez que um doesto dentre um recta humano (exempli gratia, o recta do que escolher o próprio governo), logo, eles podem estribar uma impedimento com transferências desde armas exclusivamente quando uma autoritarismo, em qualquer momento, é violenta reprimindo senhor povo.

Mas, adaptando um dos slogans da NRA, armas não reprimem cidadãos, ditadores reprimem população. Se se permite que os Estados Unidos armem ditadores quando sô governo é resguardado, não se surpreenda quando os ditadores usarem as armas quando senhor governo for desafiado.

Olhando sobre sítio eletrônico da Vênia Externo posteriormente o tratado dispor sido autenticado, podia-se olhar uma glosa desventurada do código original, “Sem armas para ditadores.” Agora, ela loa, “Sem armas para atrocidades.” É uma pena que não se possa proferir com antemão que ou quando se cometerá uma perversidade, porquê se poderia manifestar qual é um ditador.

Caleb Stewart Rossiter é o diretor do ‘American Exceptionalism Media Project’ e membro associado do Instituto a Estudos Políticos. Cortesia do Foreign Policy in Focus (fpif.org).

Epoch Times publica em 35 países em 21 idiomas.

Siga-nos sobre Facebook: https://web.facebook.com/EpochTimesPT

Siga-nos junto de Twitter: @EpochTimesPT

Deixe uma resposta