Tratamento facial inovador para um rosto rejuvenescido

Até ainda há poucos anos, muitos tratamentos prometiam devolver juventude ao seu rosto sem recorrer ao bisturi. Sculptra, acrescenta o facto de oferecer um resultado natural e progressivo. Os outros vão notá-la rejuvenescida, mas não saberão porquê. A passagem dos anos reflete-se no aparecimento de rugas, sulcos e flacidez. Para além disso, a espessura da derme e do tecido adiposo diminui.

É um processo inevitável, mas cada vez existem mais opções para atrasá-lo, como as substâncias de preenchimento (botox, por exemplo). No entanto, muitas pessoas receiam usá-las, temendo que o resultado seja pouco natural e o rosto perca expressão. Para essas pessoas, o Sculptra pode ser a solução. «Renova a pele e forma novo colagénio de modo gradual», assegura Alexandra Osório, dermatoveneralogista com mestrado em dermatologia estética.

Trata-se de um tratamento de renovação celular feito com um material de preenchimento que atua estimulando a criação de novas fibras de colagénio, de forma a dar mais firmeza e elasticidade à pele. O seu princípio ativo são micro-partículas de ácido poli-L-láctico, um polímero sintético biocompatível, biodegradável, da família dos ácidos alfa-hidroxilo, já amplamente utilizados em medicina (em suturas reabsorvíveis, por exemplo) pela sua eficácia e segurança. É injetado de forma profunda (na derme) e não requer testes cutâneos antes do procedimento.

Mais do que um mero preenchimento

De acordo com Alexandra Osório, o Sculptra está aprovado para «corrigir perda de volumes ou depressões cutâneas, sobretudo sulcos, pregas, cicatrizes, olheiras e envelhecimento da pele, bem como lipodistrofias faciais (perda de grandes volumes de lípidos da face), como acontece com a utilização de terapêutica antiretroviral por doentes com VIH/SIDA)».

Segundo a especialista, está especialmente indicado na correção do contorno facial (tornar o rosto mais oval) e melhorar o preenchimento da região perioral para apagar o duplo queixo e as linhas de marionete (linhas do canto da boca até ao queixo). Também pode ser aplicado no pescoço e mãos.

O Sculptra é mais do que um mero material de preenchimento. De acordo Alexandra Osório, «ao ser injetado na derme, vai estimular a produção do colagénio natural do organismo para corrigir depressões, sulcos e rugas». Assim, «ajuda a estimular e alisar a pele sem alterar ou reduzir a expressão facial das pacientes». A quantidade a injectar e o número de sessões varia de acordo com o paciente, porque aquilo que se procura é um aumento gradual da espessura dérmica.

Veja na página seguinte: As vantagens deste método

Ver artigo completo

Deixe uma resposta