Tudo o que deve saber antes de pôr próteses mamárias

0
38

Quando se fala em mamoplastia de aumento com colocação de próteses, ainda persistem alguns mitos que podem levar a que esta decisão seja adiada. Com a ajuda do cirurgião plástico António Conde, saiba que tipos de próteses existem, as vantagens da colocação de próteses, os cuidados a ter e quem pode submeter-se a esta cirurgia. Para o aumento mamário existem, sobretudo, dois tipos de prótese, próteses de gel de silicone redondas e anatómicas.

De acordo com a indicação e as expetativas da paciente, escolhem-se os diversos tamanhos e formatos existentes no mercado. «A utilização de um tipo de prótese em detrimento de outro baseia-se sobretudo na experiência e preferência do cirurgião. Não há evidência de melhores resultados de um tipo de prótese versus outro tipo, em situações específicas», explica António Conde, cirurgião plástico. O aumento mamário com próteses permite a «obtenção de um aumento de volume mamário imediato», refere.

«Imediato e permanente», sublinha. «O ganho é imediato e duradouro», acrescenta o especialista. No entanto, há mulheres que ainda receiam aumentar o seu peito através de cirurgia e da colocação de próteses, procurando alternativas menos invasivas. «Uma vez que o material não é biológico, um dos inconvenientes da introdução deste no organismo é o risco de infeção e a contratura capsular», alerta António Conde. Ainda assim, é de salientar que, atualmente, com «as próteses de última geração, a taxa de complicações é muito baixa», assegura.

A escolha das próteses

No que respeita à escolha das próteses, muitas doentes solicitam «um tipo de prótese dita anatómica, com a expetativa que, dessa forma, a sua mama ficará natural». Tal ideia constitui um mito. «Tanto se pode obter uma forma anatómica com uma prótese redonda como com uma forma não anatómica ou artificial». A escolha da prótese mais adequada passa muito pelas opções do cirurgião e pela sua experiência.

«Há que verificar o estado da pele, o invólucro cutâneo da mama, as dimensões do tórax, etc. O mesmo raciocínio aplica-se à «abordagem retromuscular ou retroglandular», explica o cirurgião plástico, que refere, ainda, ter preferência pela posição retroglandular. «Em suma, mais importante que a técnica é o técnico que a exerce», defende.

A via de colocação das próteses mamárias e a posição em que são colocadas é, então, o resultado da preferência do cirurgião versus preferência da paciente versus tipo de mama. «Assim, as próteses podem ser colocadas por via axilar, periareolar, submamária ou abdominal (nos casos de abdominoplastia concomitante). As próteses podem ser colocadas à frente ou atrás do músculo grande peitoral. Na minha prática, geralmente opto por colocá-las à frente, excetuando nos casos de doentes francamente magras», sublinha o cirurgião plástico.

Veja na página seguinte: Os cuidados pré-operatórios que a intervenção exige

Ver artigo completo

Compartilhar
Artigo anteriorTuberculose: a doença em permanente estado de alerta
Próximo artigoTudo o que deve saber sobre a fontanela

Deixe uma resposta