Um prodígio de mulher, mesmo com o cabelo pintado

0
42

Até dão um certo tom interessante mas, num cabelo tão escuro, a cair sobre o rosto moreno, os brancos tendem a tornar-se os reis da festa. Principalmente num cabelo encaracolado, selvagem.

Por isso, começou a pintar. Com alguma resistência, é verdade, porque pintar o cabelo significa assumir a idade. E todos sabemos como as mulheres odeiam admitir que os anos passam.

O resultado acaba por ser agradável e tem obrigado a um maior cuidado com o cabelo. Muitas vezes, como é uma mulher trabalhadora, das mais empenhadas que conheço, deixa para segundo plano estes “luxos”. Sinto um orgulho enorme pela sua realização profissional mas faço questão que guarde tempo para si.

Com a falta de tempo, e também porque profissionalmente tem este compromisso, normalmente faz a pintura num cabeleireiro. Ao contrário dos anos anteriores, tem tido um cabelo mais saudável, mais macio, mais cuidado. E tenho mais vezes a versão cabelo liso para apreciar.

Apesar de estar habituada a pintar o cabelo no cabeleireiro, esta não é a única solução. Por isso, temos procurado produtos para pintar cabelo que tenham resultados mais atrativos para pintar o cabelo em casa. Ela, procura “produtos com resultado duradouros, sem cheiro, com um efeito de cor natural e que deixem o cabelo suave”. Eu, só quero passar as mãos pelos seus cabelos suaves, sentir o seu toque na minha face. Quero vê-la brilhar!

Nesta demanda, começamos pelos produtos para pintar cabelo de uma das marcas mais conhecidas no mercado, (porque não vale a pena arriscar com aqueles produtos mais baratinhos), e até agora os resultados são bastante positivos. Somos ambos jornalistas e é incontornável a pesquisa sobre o que se diz das produtos à venda no mercado.

Optámos pela nova coloração Prodigy, de L’Oréal Paris. A marca apresenta o produto como o reinventar da coloração graças a “uma nova tecnologia de última geração, sem amoníaco, que proporciona uma cor prodigiosa e um resultado verdadeiramente natural”.

Dizem ainda que graças “à tecnologia Micro-Óleo, que consegue reproduzir a subtileza, os reflexos e as variações próprias de uma cor natural, Prodigy é ideal para as mulheres que procuram uma coloração de longa duração com cobertura total dos cabelos brancos, mas não abdicam de um cabelo suave e brilhante e de um resultado de cor e cabelo muito natural”.

Com estes argumentos fomos convencidos a testar. Na verdade, foi a minha mulher quem testou. Eu ainda me sinto bem com os brancos que por aqui andam! Mas, apesar de ser fácil de aplicar, e poder fazê-lo sozinha, assumir o papel de cabeleireiro privado também pode ser um programa interessante, a dois.

O kit Prodigy oferece uma aplicação prática, fácil e rápida, em três passos.

Além de ser uma tarefa com alguma diversão, ainda podemos fazer o papel de salvadores da pátria dos cabelos brancos e terminar o dia com um rótulo de profissional. Mais uns pontos a favor!

Para a nossa escolha foi importante a informação sobre o produto colocada na Internet. Afinal, quando optamos por um colorante de cabelo, a melhor opção recai sobre as marcas com mais experiência.

Ficámos a saber que o grande segredo das tintas de coloração Prodigy está no poder da tecnologia Micro-Óleo. Uma tecnologia que, de acordo com a marca, “permite obter uma combinação sofisticada de milhões de tons e de reflexos que dão vida à cor e transmitem uma sensação de fluidez e movimento naturais”.

A história desta revolução na coloração, de acordo com a L’Oreal Paris, começa em 2008, “com a invenção da tecnologia ODS (Oil Delivery System), um sistema baseado numa concentração elevada de óleo que substitui o tradicional amoníaco por MEA, um agente alcalino inodoro que potencializa a ação dos agentes colorantes no interior da fibra capilar, para otimizar a coloração”.

A novidade da tecnologia ODS de Prodigy, diz a marca, “consiste na dispersão ultrafina de microgotas de óleo que garante uma distribuição subtil da cor e uma miríade de reflexos que reproduzem com grande precisão as tonalidades da cor natural. Ao microscópio, é possível detetar uma textura muito fina e organizada, desde a raiz até à ponta dos cabelos”.

Ao microscópio não sei, mas a cor nos cabelos funciona e, mesmo tendo sido feito em casa, o que não permitiu a versão de cabelo esticado, os caracóis que me atraem há mais de 20 anos ganharam outra vida.

Compartilhar
Artigo anteriorUm pouco da história da PNL
Próximo artigoUma prenda para os Cake Designers

Deixe uma resposta