Vacina contra Herpes-Zóster

0
143
Um pouco da doença

Herpes-zóster é uma doença conhecida como “cobreiro” e está relacionada à queda do sistema imunológico. Pode ser uma doença muito dolorosa e potencialmente debilitante. Atinge 1 em cada 3 pessoas. Causa nevralgia prolongada e outras complicações graves. É uma doença imprevisível que pode ocorrer a qualquer momento sem aviso.

Quase todo adulto já teve catapora e portanto apresenta risco de ter herpes-zóster. O grupo de risco aumenta com a idade principalmente após os 50 anos. A vacina herpes-zóster é o único produto aprovado para a prevenção da nevralgia relacionada ao mesmo. Se você tiver herpes-zóster mesmo após ser vacinado a vacina poderá ajudar a reduzir a intensidade e a duração da nevralgia.

O que é?

O herpes-zóster é uma erupção cutânea dolorosa que se caracteriza pela formação de bolhas em geral no rosto no pescoço e nas costas que podem resultar em pequenas feridas. A infecção inicial ocorre frequentemente durante a infância através do contato com secreções orais e é seguida pelo quadro clássico da catapora com lesões avermelhadas espalhadas pelo corpo e pequenas bolhas com líquido claro. As bolhas podem durar várias semanas. Elas frequentemente aparecem em uma parte do corpo.

A nevralgia do herpes-zóster pode durar meses ou e até anos após a cicatrização das erupções cutâneas.

Causas

O herpes-zóster é causado pelo mesmo vírus que causa a catapora (ou varicela). Após a cura das bolhas da catapora o vírus permanece silencioso nas células nervosas do seu corpo. O vírus pode ficar lá por muitos anos sem provocar problemas mas às vezes ele se torna ativo novamente causando a erupção cutânea.

O herpes-zóster é grave?

O herpes-zóster pode ser grave. Em algumas pessoas essa nevralgia pode interferir nas atividades diárias normais como caminhar e dormir e nas atividades sociais. A dor do herpes-zóster também pode causar distúrbios emocionais. As pessoas que têm herpes-zóster sentem a dor de várias formas como uma queimação ou pulsação outros como perfurante penetrante e/ou cortante. Pode ocorrer uma dor intensa a partir de situações tão corriqueiras como uma brisa ou um toque da roupa na pele.

Além desta dor as pessoas com herpes-zóster podem apresentar cicatrizes infecções bacterianas na pele fraqueza paralisia muscular perda da audição ou da visão. O herpes-zóster pode levar à hospitalização e em casos raros pode levar à morte.

Sobre a vacina

A vacina contra herpes-zóster foi aprovada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) em 2014. Ela ativa o sistema imunológico para ajudar a proteger contra a doença e não é utilizada para tratá-la. Pode ser administrada mesmo que o paciente já tenha tido um episódio de herpes na vida. Ela contém ativos como neomicina e gelatina é composta pelo vírus varicela-zóster atenuado (mesmo imunizante utilizado na vacina contra a catapora) porém com uma quantidade maior de antígenos e não pode ser utilizada por pessoas alérgicas a essas substâncias. Se você faz uso de corticóides ou outro medicamento que reduz o sistema imunológico está grávida ou tem tuberculose não tratada também não pode tomar a vacina. Ela é aplicada via subcutânea em dose única injetável e somente em adultos acima dos 50 anos de idade.

Existem oito vírus diferentes da família Herpes que podem causar a doença em humanos. O Herpes tipo 1 (oral) Herpes tipo 2 (genital) Herpes tipo 3 (zóster). A vacina é somente contra o tipo 3. O grande entrave da vacina é o preço. Ela não está no calendário de vacinas do SUS. Em São Paulo nas clínias especializadas custa em torno de R$ 60000. A duração da imunidade é de aproximadamente 7 anos sendo necessário repetir a dose após esse período se necessário.

Segundo os Centros de Controle de Doenças (CDCs) dos Estados Unidos a vacina é considerada segura e não existem reclamações de efeitos colaterais graves. Em 30% dos vacinados pode ocorrer dor temporária no local da aplicação e mais raro dor de cabeça febre e mal estar.

Deixe uma resposta