Vargas Llosa tem livro despedaçado durante feira em BogotáEpoch Times em Lusitano

0
24

Um sentimento a vergonha me envolveu uma vez que bogotano quando soube o que ocorreu no sentido de Mario Vargas Llosa na Feira do Livro da cidade capital. O vasto auditório principal a Corferias estava referto e o palestrante, um grande prêmio Nobel desde Literatura, conviva com honra desse evento universal, dialogava placidamente com o noticiarista Juan Gabriel Vásquez. A repente, um tipo saído da mesa o interrompeu e começou no sentido de esboçar um invasivo exposição “em nome da população oprimida” [1]. Em um momento, o instintivo perguntou ao jornalista peruviano, em tom furioso, no qual consistia sua relação com o ex-presidente Álvaro Uribe Vélez. Consciente com que se tratava com uma provocação, Vargas Llosa não lhe respondeu e fez, pelo contrário, uma menção para uma com suas obras a 1984, em que evoca episódios da fracassada revolta trotskista com Sr. país: “Parece um personagem saído do que ‘Historia desde Mayta’”.

Sem autoridade se moderar, o energúmeno começou para rasgar as páginas do livro que tinha em suas mãos, abertamente uma obra do prêmio Nobel peruviano, antes a ser tirado do recinto pelo serviço desde segurança. Para dar relevância ao horrível ato, Mario Vargas Llosa disse, em meio aos aplausos do público: “Desta forma o interessante destas reuniões, que podem resultar aborrecidas, para vários, e com um país porquê em direção a Colômbia onde há gente para tudo”, antes a tirar essa principal desenlace do vivido nesse momento: “Começa-se rasgando livros e termina-se matando gente”.

Dias antes Mario Vargas Llosa havia viajado para Caracas. Lá teve em direção a enorme coragem com expressar, nas barbas dos esbirros a Nicolás Maduro, sua ajuda com o movimento juvenil que luta em discordância essa tirania venezuelana e para intrometimento cubana nesse país. O pigmeu que tratou do que sabotar o grande plumitivo peruviano em Bogotá, pode trazer sido secção da resposta vingativa do que Caracas em discordância o responsável dentre “Caso cidade e os cães”. E não só disso, senão essa fita dentre lunáticos que querem na Colômbia, dentre qualquer maneira, mediante para violência mais extrema, no sentido de imposição do sistema político que levou ao sinistro no sentido de Venezuela, Tonel e os países do chamado plaino socialista.

Ao furar essa boca para indagar o que Vargas Llosa pensava com Álvaro Uribe Vélez, o varão revelou ser um dos que vêem junto de ex-presidente colombiano um enorme tropeço para esses planos. Logo, o ocorrido em Corferias não pode ser analisado ingenuamente. Não foi o ato a uma pessoa “que sente aversão pelos livros”, uma vez que alguém insinuou em um texto que acabo a ler. O ocorrido no passado foi um ato político evidente, uma mensagem com ódio e a brutalidade esquerdista, montado em discordância um grande intelectual latino-estadunidense repreensível em ser liberal.

Porquê não relacionar isso incidente com para diatribe desatada pelo falecimento em o México a Gabriel García Márquez, outro grande gênio das literato, porém do que militância castrista? Os que julgamos indigna dentre um grande varão sua convívio com com destino a autoritarismo castrista continuamente respeitamos o jornalista. Ninguém rasgou um livro do prêmio Nobel colombiano com essa pretexto. As gente normais, liberais e conservadoras, com direita e do que núcleo, não costumam incendiar livros. Os que destroem livros acreditando que com isso demolirão as idéias são os fascistas e os comunistas.

As hordas com Hitler queimavam livros nas praças públicas. Lenin os havia precedido nessa situação. Sua absolutismo começou expulsando milhares com filósofos, escritores, advogados e artistas. Lenin insistia: “Devemos exilar essa a humanidade. […] Vamos mundificar com destino a Rússia em um bom tempo…”. Depois veio com destino a política a “esmigalhar para perceptibilidade” com redadas massivas, fuzilamentos e processos fraudulentos. Com Stalin cresceu o terror em oposição a na direção de cultura e se multiplicaram as listas do que livros, folhetos e fotos que deviam ser enviados à fogueira. As universidades soviéticas perderam toda na direção de liberdade acadêmica. Centenas com cientistas foram presos, porquê Tupolev, o famoso inventor dentre aviões. Mao também empreendeu versus essa cultura “burguesa” antes e durante com destino a infame “revolução educacional”. Junto de Camboja, os comunistas queimavam bibliotecas inteiras, enquanto massacravam em direção a terça secção da população do país. Em todas as pessoas os países, sem exceção, onde os comunistas chegaram ao controlar, os livros, na direção de arte, em direção a cultura, com destino a religião e na direção de ciência foram perseguidas.

O que fez o frenético desde Corferias se inscreve nessa tradição imunda: queimam ou destroem um livro, o objeto com cultura até primazia, para avisar que destruirão todo vestígio desde cultura quando chegarem ao ser capaz. Essa foi no sentido de visão que Vargas Llosa teve nesse momento e isto posto disse o que disse. Essa foi no sentido de mensagem que o ativista que insultou Vargas Llosa lançou aos colombianos.

Há porquê uma ininterrupção entre essa ato ignóbil do que Corferias e com destino a campanha versus para liberdade desde frase que um senador liberal-chavista trata a encavalar em Bogotá. Oriente último utiliza uma vez que pretexto um Twitter do que María Fernanda Cabal, representante eleita pelo Meio Democrático, que critica com destino a relação entre Gabriel García Márquez e Fidel Castro. Esses dois pigmeus, o a Corferias e o outro, estão em o idêntico raconto: destruir os livros a um repórter anti-castrista e punir uma eleita do povo sobre não ser castrista. Para violência é no sentido de marca dessas duas atuações. Um quis emudecer com destino a boca do Prêmio Nobel com Literatura peruviano e o outro ou recortar na direção de liberdade desde frase na Colômbia. Com destino a violência, constantemente em direção a violência. Não é o igual que pediu há poucos dias “fuzilar literalmente” os que se opõem em direção a que se conceda essa impunidade às FARC?

Nota da tradutora:

[1] Para ilustrar isso magnífico item, assistam junto de vídeo aquém o repugnante facto:

Tradução: Perdão Salgueiro

Essa teor foi originalmente publicado junto de website desde Heitor do que Paola

Deixe uma resposta