Venezuela pós-Chávez e com destino a oportunidade do que mudança

0
38

Venezuelanos se reúnem num cortejo em Hugo Chávez em direção a caminho da Ateneu Militar em Caracas, Venezuela, em 6 a março (Juan Barreto/AFP/Getty Images)

Lá passagem do presidente venezuelano Hugo Chávez abre possibilidades para este país sul-americana rica em petróleo mando mudar suas alianças globais, um pouco que deveria ser incentivado, segundo pequeno número de observadores.

Por Constituição da Venezuela estipula que uma eleição ocorra dentro desde 30 dias posteriormente na direção de morte dentre Chávez para escolher sô sucessor.

O vice-presidente Nicolas Maduro, sucessor escolhido desde Chávez com tendências socialistas, já é o presidente interino. Se ele continuar uma vez que líder, é provável que continue para campanha do que respectivo ex-director em oposição a os EUA e o “imperialismo” ocidental na América Latina, e permaneça hospitaleiro com países porquê Cabocla, Tina, Rússia e Irã.

Os sentimentos antiestadunidenses dentre Chávez muitas vezes resultaram numa erupção com acusações, porquê culpar testes militares setentrião-americanos pelo abalo do que 2010 junto de Haiti.

Certa vez, ele disse que não ficaria passado se o governo setentrião-ianque houvesse secretamente espalhado cancro na América Latina – o cancro do qual ele acabou sucumbindo. Nem ele teria sido perplexo ao saber que “havia cultura em Marte, mas […] o capitalismo chegou lá, o imperialismo chegou, e acabou com o planeta”.

Chávez manteve o autoridade tão firme que ele ia para sô quarto procuração em outubro pretérito, embora não pudesse deixar sua leito a clínica para essa cerimônia desde posse.

Oposição e oportunidade

Enquanto se espera que Maduro ligeiro adiante o legado dentre Chávez se for eleito, isso não é provável se Sr. principal competidor, o líder da oposição Henrique Capriles, lucrar.

Capriles poderia rever o lugar da Venezuela em o mundo ou no mínimo reformar as relações com alianças tradicionais. Ele disse em sua campanha presidencial do ano pretérito que seja rever contratos feitos com em direção a Cabocla, na direção de Rússia e outras nações, para estar mais do que combinação com os interesses venezuelanos.

Roger Noriega, ex-secretário-ajuntado dentre Estado para Assuntos do Hemisfério Ocidental (Canadá, América Latina e Caribe) e ex-emissário dos EUA junto à Organização dos Estados Americanos (OEA), quê que agora é o momento para os Estados Unidos motivarem no sentido de mudança na região.

“Por gestão Obama é […] avessa na direção de assumir um papel do que liderança num tipo dentre questões e provavelmente seus instintos são desde que temos qualquer tipo a bagagem na América Latina – o que não é verdade”, disse Noriega num vídeo publicado no interior de site do Instituto Agenciador Norte-americano (AEI) um dia posteriormente para morte a Chávez.

Ele diga que os países latino-americanos esperam que os Estados Unidos assumam um papel do que liderança e que outras nações ocidentais apoiariam uma campanha setentrião-americana para exigir que os “chefões do narcotráfico” e redes iranianas e do Hezbollah sejam expulsas.

Os Estados Unidos mantêm alguma influência na Venezuela.

As relações comerciais EUA-Venezuela viram episódios espinhosos – Chávez nacionalizou as participações setentrião-americanas da Exxon e com mais e Washington impôs sanções ao petróleo estatal da Venezuela em seguida ela fornecer petróleo ao Irã em 2011.

Apesar desses atritos e das visões antiestadunidenses a Chávez, “[Chávez] foi inteligente o suficiente para nunca trinchar o negócio com Washington, o parceiro mercantil mais importante da Venezuela”, oi Daniel Greenberg, fundador do Instituto com Estudos da América Latina da Universidade Pace em Novidade York, num expedido divulgado na quarta-feira.

Por Venezuela continua sendo um dos progênie fornecedores do que petróleo para os Estados Unidos e os dois países cooperam em áreas dentre interesse reciprocamente, porquê o narcótico, contraterrorismo, negócio e robustez.

Enquanto forças pró-Chávez trabalham em discordância para oposição, isto pode estar à procura a amigos. Partes interessadas começaram para se preparar para em direção a morte com Chávez quando o líder ainda lutava em oposição a o cancro.

Em juventude pretérito, generais fortemente envolvidos em o transacção desde drogas já tramavam medidas repressivas vs no sentido de oposição para resguardar teu ser capaz, uma vez que foi observado numa discussão organizada pela AEI em Washington DC na estação.

Noriega foi segmento dessa discussão. Ele também informou que os chineses exigiam novas garantias num empréstimo do que quatro bilhões dentre dólares, segundo suas fontes na Chancelaria venezuelana. Os chineses queriam garantias desde que um “governo pós-Chávez honrará seus queridos acordos”, disse Noriega.

Dos aliados da Venezuela, aquele que talvez tenha mais em jogo é na direção de Mulata.

Interesses petrolíferos da Cabocla

Sob o governo do que Chávez, o Tesouro venezuelano desenvolveu uma urgência premente em verba para manter ambiciosos programas sociais voltados para as classes menos favorecidas da Venezuela. Chávez, por conseguinte, abriu no sentido de porta para os investidores em países aliados, particularmente em direção a Cabocla, permitindo que isto comprasse petróleo venezuelano muito inferior dos preços do que mercado.

O esteio técnico e financeiro chinês desempenhou um papel chave para manter o regime a Chávez em trabalho.

O interesse da Mulata em Chávez é evidente: para Venezuela tem as antepassados reservas mundiais a petróleo. Suas reservas com petróleo atingiriam 296,5 bilhões dentre barris em 2010, superando os 264,5 bilhões desde barris da Arábia Saudita, segundo na direção de Organização dos Países Exportadores a Petróleo (OPEP).

Na segunda metade do governo desde 14 anos a Chávez, no sentido de Mulata se tornou um jogador importante na indústria do que petróleo da Venezuela. Hoje, na direção de Mulata importa dezena vezes mais petróleo da Venezuela do que cinco anos detrás. Também, os Estados Unidos importam 40% menos do que há uma dez. Nos próximos x anos, na direção de Mulata pretende flectir as importações.

Pequim tem conduta o que pode para prometer que o petróleo continue fluindo num horizonte pós-Chávez. Pequim fez grandes empréstimos para essa Venezuela, totalizando 38 bilhões desde dólares em juventude do que 2012. Esses empréstimos são o mundo inteiro pagos em petróleo.

Em 2014, no sentido de Venezuela será obrigada, entre motivo dos empréstimos chineses, em direção a produzir mais desde 500 milénio barris através de dia, muito aquém dos preços a mercado.

Se eleições forem realizadas – o que é dentre se esperar para assistir – e Capriles vencer, renegociar esses acordos seria um grande repto.

Greenberg acha que Capriles teria uma boa hora vs Maduro, o escolhido sucessor desde Chávez, que carece a talentos dentre liderança. Logo, há certa oportunidade com mudança.

“Se Capriles lucrar”, quê Greenberg, “as reformas desde Chávez provavelmente serão expandidas e sim o oposto desmanteladas. Desde qualquer forma, no sentido de Venezuela sem Chávez será um lugar excessivo dissemelhante.”

Com reportagem a Gary Feuerberg.

Epoch Times publica em 35 países em 21 idiomas.

Siga-nos em cima de Facebook: https://rede.facebook.com/EpochTimesPT

Siga-nos sobre Twitter: @EpochTimesPT

Compartilhar
Artigo anteriorVenezuela interrompe conferência a secretário da OEA com oposiçãoEpoch Times em Luso
Próximo artigoVenezuela se prepara para o caosEpoch Times em Lusitano

Deixe uma resposta