Vício em rede de computadores interligados altera estrutura do cérebro

0
17

Estudo diz que o vício em internet está crescendo em incidência, o que tem atraído a atenção de psiquiatras, educadores e do público. (Pornchai Kittiwongsakul/AFP/Getty Images)

Um estudo contemporâneo transportado sobre cientistas da Universidade dentre Xidian na Cabocla e copiosos mais institutos dentre pesquisa médica na Cabocla e nos Estados Unidos, publicado através do periódico científico PLoS One, concluiu que o vício em web em longo prazo, principalmente durante os anos dentre formação da juvenilidade, pode produzir diferença na estrutura do cérebro.

O estudo descreve o crescente vício em rede de computadores interligados entre adolescentes ao volta do mundo, nomeadamente na Mulata, onde o número aproximado a jovens urbanos viciados é dentre 14%, ou 24 milhões a jovens.

O estudo associa o vício em rede mundial de computadores com “prejuízo do muito-estar da mente do quidam, baldão escolar e reduzida capacidade com informação”, declarando que nada obstante não ser reconhecido universalmente porquê um fenômeno médico, “o vício em net está gradação em incidência o que tem atraído para atenção a psiquiatras, educadores e do público”.

A contrato com o cláusula, outras pessoas estudos apresentaram fatores indicadores, eg, que o libido ao longo de jogos em rede e com destino a obediência ao longo de substâncias químicas seriamente viciantes, porquê os derivados do ópio, podem “compartilhar o semelhante mecanismo biológico”, e que em relação aos não viciados, os adolescentes que têm vício em rede de computadores interligados são mais impulsivos e processam informação com menos eficiência.

O estudo foi transportado selecionando 18 jovens em idade universitária porquê controles saudáveis sem vício em rede e 18 jovens dentre mesma idade identificados com vício em rede, fundamentado em suas respostas num questionário do que 8 questões, uma versão modificada do Questionário do que Net para Diagnóstico Juvenil desenvolvido pelo Dr. Kimberly Young, um psiquiatra e professor da Universidade St. Bonaventure, que fundou o Meio para Vício em Rede mundial de computadores em 1995.

Todo um dos sujeitos envolvidos dentro de estudo passa 10 ou mais horas até dia, no mínimo seis dias na semana, jogando jogos acessível. Informações em relação a o estilo com vida e na direção de intensidade do vício dentre qualquer um foram verificados mais detalhadamente através desde conversas e entrevistas com amigos, companheiros e família.

O teste envolveu escanear o cérebro com qualquer um dos sujeitos e julgar com destino a substância cinzenta, o tecido neural na superfície do cérebro e na medula espinhal que dirigem para percepção sensual, e com destino a material branca, tecido neural das fibras nervosas que conecta na direção de substância cinzenta e permite diferentes partes da substância cinzenta se comunicarem com o resto do corpo.

O resultados mostraram que “o volume da substância cinzenta… exibiu uma reciprocidade negativa com os meses a vício em net”, afirmando que “nenhuma região cerebral [em viciados em internet] apresentou maior volume com substância cinzenta do que o grupo saudável com controle.”

Em relação à material branca, o teste mostrou que os sujeitos com vício em rede tinham maior concentração em certas partes do cérebro e menor concentração em outras partes em conferência com o grupo saudável a controle.

O estudo concluiu afirmando que, “nossos resultados sugerem que o vício em net em logo prazo provoca alterações na estrutura cerebral, o que provavelmente contribui para disfunção rubrica em sujeitos com vício em rede de computadores interligados.”

Lá valia da fitopatologia

Deixe uma resposta