Violência em Hong Kong está vinculada na direção de PequimEpoch Times em Lusitano

0
19

Os protestos violentos que se opõem ao movimento Tomar Médio, que têm atacado os estudantes e sitiado sexualmente manifestantes mulheres, estão ligados no sentido de Pequim, segundo os cidadãos dentre Hong Kong.

“É porquê se para Revolução Educativo estivesse ocorrendo em Hong Kong. Quando o maior susto das seres vinha daqueles ao sô lado”, disse um mercante a Shenzhen, com onomatópose sr. Lee, em entrevista com o Epoch Times. “Um pouco desse tipo não deveria ocorrer numa sociedade avançada porquê Hong Kong.”

Desde concordância com Lee, em direção a massa dos que se opõem ao protestos pro-governo popular em Hong Kong falam com um sotaque da Cabocla continental.

O Gabinete a Relação do Governo Popular Meão há diverso tempo organizou um grupo a chineses do continente para incitar com destino a violência em discordância o Invadir Meão, disse Lee. Os elementos receberam para promessa desde licenças permanentes, documentos que permitem que indivíduos da Cabocla continental possam residir permanentemente em Hong Kong ou Macau.

Do que convenção com Lee, há milhares dessas seres em Hong Kong agora. “Muitas pessoas chineses do continente não estão realmente trabalhando para com destino a Mulata em seus corações. Eles sabem o que está acontecendo e fazem isso através de numerário”, disse Lee.

Até agora, as centenas com indivíduos que se alistaram para se opor ao movimento democrático Gastar Medial são poucas diante dos murado com 100 milénio manifestantes que estão dispersos em quatro bairros nos periferia a Hong Kong.

Aquele assim, aqueles que se opõem ao movimento pacífico têm azado dificuldade, espancado os manifestantes, caído barracas e fracionado faixas.

Manifestantes mulheres têm sido cândido dos opositores do Tomar Medial. Uma mulher disse à Indulto Universal que um varão agarrou seus seios enquanto ela acompanhava demais manifestantes dentro de província dentre Mong Kog às 16h dentre 3 desde outubro. Ela disse que levante tipo também agrediu outras duas mulheres.

Pequeno número de dos manifestantes que se opõem ao Usar Médio foram organizados pelo grupo ‘Caring Hong Kong Power’ (CHKP), que foi estabelecido em junho desde 2011 e é financiado pelo Partido Esquerdista Chinês, porquê descrito anteriormente pelo Epoch Times.

Na noite dentre 3 dentre outubro, uma diretiva interna do CHKP começou na direção de circundar disponível, lembrando as população que usassem fitas azuis, um símbolo agora associado àqueles que se opõem ao Encher Médio, nas atividades em Mong Kok em 4 a outubro. Para circundar afirma: “Para se opor ao movimento Dominar Medial e prometer no sentido de segurança em Hong Kong, no sentido de violência é necessária.”

“Se na direção de oposição ao movimento Dominar Meão não for muito-sucedida, com destino a opinião pública será seduzida no sentido de concordar na direção de ação polícia em combate a os estudantes. Se tudo mais falhar, o Tropa da Libertação Popular será mobilizado para exterminar os traidores que traíram Mulata.”

Essa violência eclodiu em Mong Kok na inoportunamente com 3 com outubro. Hostilidades esporádicas têm ocorrido periodicamente enquanto ao contrário de-manifestantes continuam essa brigar manifestantes pacíficos em Mong Kok, Causeway Bay e junto de Almirantado.

“Essas população são membros dentre gang. Eu reconheço lhe maneiras, insultos e métodos. Número reduzido de deles não são com Hong Kong, eles são chineses do continente”, disse Tang Kam-hong, um fotógrafo que vive em Hong Kong, num cláusula publicado em cima de jornal gaulês Libération, titulado “Tríades chinesas retornam no sentido de Hong Kong”.

Há numeroso tempo suspeita-se que o regime chinês tem atraído usar essa violência em Hong Kong para silenciar aqueles que o criticam.

Kevin Lau, ex-editor-superintendente do jornal Ming Pao, foi esfaqueado nas reverso e nas pernas em fevereiro deste ano. Diversos em Hong Kong acreditam que o Partido Soviético Chinês estava sobre trás do ataque.

Chen Ping, proprietário da revista iSun Affairs, foi espancado entre bandidos fora com senhor escritório em junho com 2013. Com destino a iSun Affairs costuma criticar na direção de gestão a Hong Kong e seus laços com Pequim: “Talvez eu tenha ofendido algumas população junto de regime do Partido Socialista”, disse Chen.

Também em junho do ano pretérito, um carruagem bateu propositalmente e destruiu o orifício da frente da lar a Jimmy Lai. Lai é o fundador e presidente da Next Media, em direção a maior empresa a mídia a capital descerrado a Hong Kong, cujas publicações são conhecidas em criticarem o regime chinês. Posteriormente destruírem lhe orifício, os bandidos calmamente colocaram um machado e uma faca dentre magarefe na ingresso da vivenda.

Deixe uma resposta