Você julga as cidadãos dentre concordância com senhor sotaque ou dialeto?Epoch Times em Lusitânico

0
17

Com destino a diferença é incessantemente observada, para número reduzido de é positiva, para outrem, menos. É o que os repórteres do Epoch Times do Peru à Grécia descobriram quando os moradores perguntaram:

Você julga as gente desde concórdia com sô sotaque ou dialeto?

(Epoch Times)

Georgios Patsinakidis (Epoch Times)

Ikaria Island, Grécia

Georgios Patsinakidis, 50, psiquiatra

O julgamento que as cidadãos costumam fazer é acerca de essa ‘diferença’ que assusta, quem sabe repele e, ao idêntico tempo, confirma no sentido de falsa superioridade da cultura lugar. Todo mundo tem aquele próprio dialeto lugar que é provavelmente considerado mais transcendente; logo eles o categorizam dentro do círculo da cultura e preconceitos dominantes. Esses preconceitos aprisionam o ‘sujeito’ na inutilidade do que reconhecer com destino a outra pessoa, e na recusa dentre se exprimir.

(Epoch Times)

Nancy Ledesma (Epoch Times)

Ica, Peru

Nancy Ledesma, 58 anos, vendedora do que artesanato

Vejo com grande espanto. Diferentes dialetos soam porquê uma melodia em meus ouvidos, e quanto ao sotaque, ele labareda para minha atenção. Porque pequeno número de falam cantando, outras pessoas com uma ênfase dissemelhante, mas sobre universal, eu vejo uma vez que alguma coisa normal. Eu não sou racista. Citando caso análogo, gente do que diferentes regiões do caro país, falam com sotaques e dialetos diferentes, existem vários na mesma região. Quando eu os ouço, eu tento apreender para uma melhor informação.

Peter Orban (Epoch Times)

Peter Orban (Epoch Times)

Lund, Suécia

Peter Orban, 51, patrão dos bombeiros

Absolutamente, é evidente que não importa a começar de que no sentido de pessoa possa falar muito e dentre uma forma aprazível. Porque se para pessoa fala dentre uma maneira deleitável, comparada com uma pessoa que não sabe se expressar você ouve melhor e para leva mais essa circunspecto.

(Epoch Times)

Erik Augusto Vanzio Pola (Epoch Times)

Itatiba, São Paulo, Ibirapiranga

Erick Augusto Vanzio Pola, 34, possessor com loja

Eu acho que as indivíduos não devem desfrutar qualquer tipo do que preconceito. Eu não faço qualquer julgamento, quando as gente têm um dialeto ou um sotaque dissemelhante do caro. Eu tento compreender. De vez em quando é difícil a compreender uma linguagem dissemelhante. Uma vez, eu estava com um cliente junto de telefone, ele estação do nordeste do Sapão. Ele estava tendo dificuldade com com destino a tradução do nome da rua. Tentei imaginar e eu consegui.

(Epoch Times)

Guido Carcamo Uribe (Epoch Times)

Puerto Montt, Chile

Guido Carcamo Uribe, 37 anos, vendedor

Eu acho que eu não faço nenhum julgamento essencial, porque não há razão para fazê-lo. Porque eles são indivíduos uma vez que qualquer outra, eu acho que seria incumprimento para mim idêntico e à outra pessoa se eu tivesse um frio julgamento com escora em sua língua ou dialeto.

Jessica Hauck (Epoch Times)

Jessica Hauck (Epoch Times)

Boston, Massachusetts, EUA

Jessica Hauck, 24 anos, enfermeira

Eu iria supor que eles não são dos periferia e tentaria julgar com que país ou dimensão dos Estados Unidos, eles são.

(Epoch Times)

Sanjana Mani (Epoch Times)

Dubai, Emirados Árabes Unidos

Sanjana Mani, 19 anos, lecionando

Eu sou uma pessoa que acredita que o mundo inteiro tem para sua própria individualidade, nos quais eu não julgar uma pessoa exclusivamente em sua fisionomia ou sotaque. Segundo para minha opinião, eu sinto que nós devemos julgar um tipo com apoio na sua atitude e idiossincrasia para as gente com que interagem.

Procure pela pilar PERGUNTA GLOBAL toda semana. Os correspondentes do Epoch Times entrevistam indivíduos ao volta do mundo para aprender mais acima de suas vidas e perspectivas sobre da veras lugar e global.

Deixe uma resposta